Família Bonat – almoço de confraternização

Família de Pietro Bonat e Maria Madalena Colodel - 1910

Família de Pietro Bonat e Maria Madalena Colodel - 1910

PRIMEIRO ALMOÇO DA FAMÍLIA BONAT

CURITIBA, PR, 02 Mai 1998

Caríssimos parentes!

Coube-me o encargo de saudá-los, missão que cumpro com extremo prazer.

Ao meditar sobre o que lhes dizer, assumi o compromisso de não me alongar e de procurar ser o mais informal possível. Aí, deparei-m
e com a primeira grande dificuldade pois, se para um Bonat falar pouco não é problema, convenhamos que ser informal, mesmo em família, não combina muito conosco.

Peço permissão aos mais letrados presentes (temos juízes, advogados, professores, padres e outros “quetais”) para iniciar plagiando um grande filósofo e pensador brasileiro da atualidade que, num momento de rara inspiração, pronunciou as tristemente célebres palavras: “vocês vão ter que me engolir”!

Mas serei breve, prometo. Vou poupá-los de remontar à época de Adão e Eva. Também não vou passear pela Europa da Idade Média em busca de nossas origens comuns na França, na Itália, na Áustria, na Polônia ou em outros países, até porque ainda não dispomos dessas informações.

Parece que o Oceano Atlântico, ao apagar o rastro do navio que trouxe Pedro Bonat há cerca de 160 anos para o Brasil, apagou também suas pegadas no Velho Continente. Seria importante se pudéssemos reavivá-las.

Guilhermina Bonat (viúva de Reynaldo Bonat) com os netos - 1978

Guilhermina Bonat (viúva de Reynaldo Bonat) com os netos - 1978

Mas, se as pegadas dos Bonat na Europa encontram-se esmaecidas, no Brasil estão bastante nítidas. Seguindo-as, chegamos a este local onde nos encontramos a fim de confraternizar.

O momento é especial, mágico até. Invade-nos um sentimento de nostálgica recordação, não somente dos parentes de um passado longínquo, mas principalmente daqueles com quem convivemos e que não se encontram mais entre nós. Mesmo assim, sentimos suas presenças neste local, felizes como todos nós. A eles – nossos maiores – a homenagem, a saudade e o agradecimento pelo principal legado que nos deixaram: um nome honrado.

Invade-nos também neste momento um sentimento de extrema alegria. Cabe-nos agradecer aos idealizadores deste encontro pela oportunidade que nos é dada de revermos parentes que não víamos há muito tempo e de conhecermos pessoas em cujas veias corre o mesmo sangue que nas nossas.

Para encerrar, convido-os a olhar para o futuro, pois sempre haverá um amanhã. Se amanhã os netos dos nossos netos se reunirem em confraternização semelhante a esta, a semente hoje plantada terá produzido seus frutos.

Para que tal aconteça, é preciso que assumamos o compromisso de continuar participando de eventos desta natureza. Será a forma de mantermos nossas pegadas fortemente marcadas, de modo que balizem um caminho de honradez e dignidade para as próximas gerações dos Bonat.

Sejam bem-vindos. Grato pela presença de todos. Que esta reunião não seja a última.