A pauta-bomba de cada um

A dificuldade de expressão da nossa presidente é de doer. Suas falas são ininteligíveis. Mas de pauta ela é boa. Na campanha presidencial, pautada por caríssimos (e, reconheçamos, competentes) marqueteiros, ela conseguiu, ao menos uma vez, fazer-se entender. Embora chula, a frase “nem que a vaca tussa” não deixava dúvidas. No seu segundo mandato, continuaríamos vivendo num país dourado.

No último dia 3, decorridos apenas sete meses da sua nova gestão, a presidente convocou os 27 governadores. O salão palaciano, onde se deu a reunião, provavelmente devia parecer vazio. Se levarmos em conta que dispomos de 39 ministros, doze cadeiras ficaram desocupadas.

Assunto: a pauta-bomba do Congresso. Mas que perigosa bomba estaria contida na tal pauta? Nada mais, nada menos, do que as promessas de campanha, aquelas que não iriam mudar nem que a vaca tossisse.

Pois não é que até o boi voou, a Petrobras quebrou, o PAC empacou, a inflação disparou e o PIB despencou? E nada de o cinto apertar. Os 39 ministros e seus milhares de assessores permanecem em seus cargos, “imexíveis” no linguajar de um ex-ministro. Afinal, eles são de confiança… Além do mais, devem ser muito competentes: conseguiram a proeza de fazer até a vaca tossir. Por isso devem custar tão caro.

Pautar é um verbo fácil de conjugar. Difícil mesmo é ser pautado. Muito tempo atrás, um garoto de 19 anos estava pautado para morrer e não sabia. Ingenuamente, ele correu para socorrer as pessoas que estariam num automóvel que havia se chocado contra o muro do quartel onde dava guarda. Mas não havia ninguém dentro. Apenas bombas. Quando explodiram, nada sobrou do pobre menino. Os que haviam pautado o seu assassinato devem ter comemorado numa verdadeira festa de arromba. É de supor terem ligado logo para Fidel, comunicando ao “comandante” sobre o sucesso da sua pauta-bomba.

Tempos depois, Celso Daniel, “companheiro” e prefeito de Santo André, teve um surto de honestidade. Por isso, também seria pautado para morrer. Mas, como devia ter importantes informações, sofreu alguns dias, antes de pagar com a vida, de ser justiçado.

Você já percebeu, caríssimo leitor, que hoje estou com dificuldade para me expressar. Creio que “peguei a doença”… Preciso me ver logo livre desse mal, pois parece contagioso.

Só resta apelar para Cícero, grande orador, advogado, filósofo e político romano. Vamos supô-lo ressuscitado aqui mesmo no Brasil. Inteligente, dispensaria marqueteiros. Culto, perceberia que as falas presidenciais são sem pé nem cabeça. Astuto, se candidataria à presidência da república. Mesmo sendo o “orador dos oradores”, decidiria falar de modo que ninguém o entendesse. Ao invés de “sem pé nem cabeça”, optaria pelo latino: “nec caput nec pedes”.

Quem sabe, não resolveria encerrar um dos seus comícios com o agora famoso “nem que a vaca tussa”? Mas o pronunciaria também em latim – “vel bovis tussis” – de forma que todos o aplaudissem, mesmo que ninguém tivesse entendido.

Compreendeu? Creio que não. Se pudesse, eu desenharia. Mas não possuo esse dom. Nem um simples traço meu, você entenderia. Uma vaca, então… Tossindo, menos ainda…

Ilustração: JOÃO CARLOS BONAT

38 Respostas para “A pauta-bomba de cada um”

  1. bonat Diz:

    Senhor General Bonat, desta vez, ainda que em viagem, não demorei para ler o precioso Pauta-Bomba. Síntese do trágico momento e sábia referência ao jovem Mário Koezel, despedaçado quando de Sentinela. Em suma, uma vez mais, parabéns! Estou em longa pausa na internet, mas vou conseguir um notebook, hoje, e repassar o Artigo a todos da minha lista. Grato. José

  2. EDMAR LUIZ KRISTOCHIK Diz:

    A nossa mandatária já escorregou diversas vezes, parece que entra em pane de uma hora para outra. No entanto, a grande característica dela é a gastança irresponsável (herdou do antecessor), por isso estamos em total desequilíbrio financeiro nas contas públicas. Preocupo-me até onde iremos chegar, a continuidade dessa situação está afundando o nosso país. Deus nos proteja!

  3. Alfredo Cherem Filho Diz:

    Caro General
    Suas palavras muito atuais descrevendo o absurdo que estamos assistindo em nossa política, que infelizmente nos impõem consequencias terríveis, que no final somente uma instituição será capaz de solucionar, nós sabemos quem, obrigado pelo envio.
    Um Forte Abraço
    Alfredo 06.8.15

  4. Alceu Cafruni Diz:

    É verdade, amigo Bonat, a coisa está mesmo preta para esta anta e teu artigo coincidiu, exatamente, com dia da publicação de mais uma pesquisa de opinião, confirmando a sua rejeição para 76%, pior do que a do Color, no auge da sua debacle. É um verdadeiro “nec caput nec pedes”. Mas hoje, em sua homenagem, o povo brasileiro a brindará com um sonoro panelaço, que ecoará em todo pais. Parabéns pela precisão e propriedade das tuas palavras. Abraços.
    Cafruni

  5. Gustavo Rocha da Silva Diz:

    Prezado General Bonat:

    Como sempre um texto claro, enxuto, conciso, elegante e bem humorado. Os parágrafos quarto e oitavo são primorosos!

    Grande abraço.
    Gustavo

  6. Juan Koffler Diz:

    Meu querido amigo Bonat, dei boas gargalhadas ao ler o final do seu texto – no melhor sentido possível e sem menosprezar o conteúdo sério e reflexivo do restante do texto -. Imaginei Cícero, do alto da sua inatacável figura impoluta, asseverando algo semelhante a: “vel bovis tussis” e a patuleia, ensandecida, aplaudindo e gritando: “Cicero Dei!”. Genial!
    Bom, agora falando sério. Digo e repito, convicto: impeachment não resolveria. Estar-se-ia trocando “alhos por bugalhos”, pois quem assumiria, por norma constitucional, seria o indecente Michel Temer, outra excrecência política. Dessarte: intervenção militar? Fora de cogitação falácia. “Intervenção militar constitucional” é medida inexistente, imaginada pela patuleia. “Golpe militar”? Existe e é viável, mas esqueça-se que poderá ocorrer. Seria um retrocesso.
    O que sim penso ser possível, meu caro amigo, é uma “insubordinação civil”, i.e., a desobediência civil em boicote ao governo atual. Medida de exceção que provocaria o caos social, a anarquia, forçando o atual governo a pactuar com os insubordinados. Esta medida, num país de 200 milhões, é absolutamente inviável e inexequível.
    Agora, um aspecto é absolutamente verdadeiro: assim como está não pode continuar. Qual a saída? Só Deus sabe…
    Fortíssimo abraço e perdoe-me a extensão do meu arrazoado!

  7. Joaquim Rocha Diz:

    Prezado amigo Bonat
    A presidente e o partidão…zinho, até agora fizeram o que queriam, a despéito do povo, do congresso, da oposição, e da justiça. Emitiram milhões em dinheiro e enviaram para o exterior, desviaram bilhões da Petrobrás,prometeram negociar as dívidas dos Estados, tudo isso (e mais) fizeram rindo de nós, a despeito de tudo, e “nem que a vaca tossisse”.A “pauta-bomba” é a resposta à “nem que a vaca tussa!”, só que, quem está para estourar a pauta bomba é o Juiz Moro.
    Abraços fraternos
    CEL PM Res Joaquim Rocha

  8. luiz Diz:

    Primo,

    Brilhante como sempre!
    Só faltou estabelecer a “meta”, pois a casa esta caindo.
    Grande abraço

  9. José Carlos Figueiró Diz:

    Prezado Gen BONAT,
    Desta vez não precisa ser desenhista para explicar e/ou entender, só os antas não entenderão.
    Parabéns

  10. Higino Diz:

    Caro companheiro de turma e amigo Bonat…
    Oportuno e reflexivo texto… todos os dias novas pautas-bombas: econômica, politica, social… Resta um baluarte, felizmente, com um plano de barreiras, com seculares casamatas de brasilidade a socorrer pobre patria: o campo do poder militar.
    Parabéns pela pena.

  11. bonat Diz:

    Prezado amigo Gen Bonat,

    Brilhante como sempre, mais uma crônica de sua autoria.
    Confesso que me faltam palavras adequadas para exprimir a minha admiração e respeito pelo modo sobretudo inteligente, original e oportuno de abordagem dado ao assunto, explicitando-o de forma agradável e atraente ao leitor.
    Parabéns!
    Continue enviando suas mensagens, sempre muito bem recebidas e devidamente por mim retransmitidas.
    Um grande abraço.
    Queiroz

  12. Fabio Diz:

    Boa tarde Gen. Bonat
    Muito interessante vosso artigo, creio se tratar de uma brilhante reflexão.
    Em nossa atual situação política/social temo realmente um distúrbio generalizado, fruto de uma serie de medidas pensadas por parte de articuladores que em sua ingenuidade, e por estudarem apenas manuais de manipulação de massa estrangeiros (outra realidade psicossocial) não tenham se atentado ao efeito colateral da tentativa de sua manipulação. Temos em nossa historia Canudos, fato que desafiou a lógica da época e deixo de ser apenas o bode expiatório para se tornar um episodio marcante. Imaginemos Canudos nos tempos de hoje onde a comunicação e o transporte superam o da época (sem se falar em armamento).
    Pensão em modelos de manipulação SIMÉTRICOS, quando na realidade hoje o cenário é ASSIMÉTRICO, e como se entrássemos no filme de Woody Allen “O Rato que Ruge” estaria se despertando um monstro adormecido e sem rédeas.
    . Este embate poderá gerar uma disputa por interesses desconexos e propiciar o que se pode chamar de Teoria do Caos. Sito a observação de Tucídides quanto à revolução de Córcira (Ilha do mar Jônico – pivô da guerra do Peloponeso – 427 AC) “… então, todas as formas de iniqüidade criam raízes nos países Helênicos, em virtude das dificuldades enfrentadas. A antiga simplicidade, na qual a honra participava tão intensamente, tornou-se motivo de zombaria e desapareceu; e a sociedade dividiu-se em campos nos quais nenhum homem confiava em seu companheiro. E ainda, para culminar, não havia promessa digna de credito, nem juramento que impusesse respeito; ao contrario, todas as facções permaneciam na sua previsão, sem esperanças, de um estado de coisas permanente, no qual estariam muito mais atentas a sua própria defesa do que á sua capacidade de confiar. Nesta disputa, os menos capazes obtinham maiores sucessos. Preocupados com suas deficiências e com a clarividências de seus adversários, temiam levar a pior no debate e ser surpreendidos pelas artimanhas de seus oponentes, mais versáteis, e, então, audaciosamente, recorriam á ação; enquanto isso, seus adversários pensando, arrogantemente, que saberiam agir no tempo devido e que não seria necessário assegurar pela ação aquilo que poderia ser obtido através da política tornavam-se, freqüentemente, vítima de sua falta de precaução. Na confusão em que ora se lança a vida nas cidades, a natureza humana, sempre se rebelando a ser governada com paixão, considera-se superior a qualquer respeito pela justiça e inimiga de qualquer tipo de superioridade.”

  13. Afonso Pires Faria Diz:

    Nada a reparar. Brilhante. De uma felicidade imensa ligar as pautas aos pautados juntamente com a bovinidade da situação. Parabéns.
    Afonso Pires Faria

  14. Beth Diz:

    Só falta a meta para essa senhora!
    Abraços!

  15. Luiz Carlos Soluchinsky Diz:

    Muito bom. Parabéns.

  16. Cosendey Diz:

    Caro amigo Bonat,
    Como sempre seus artigos são de muito bom humor aliados a uma visão política e cultural muito rica em detalhes.
    A Nação precisa reagir.
    Abraços!

  17. Gabriel (Oliveira 643) Diz:

    NADA COMO O CONHECIMENTO NÃO É MEU COMANDANTE.

    PARABÉNS MAIS UMA VEZ.

    GABRIEL (OLIVEIRA 643)

  18. Victor José Freire Diz:

    Brilhante e Estimado Amigo Gen Bonat!
    Nada melhor e prazeroso do que retornar das “Férias do Face” e receber esta tremenda aula sobre: “A ATUAL SITUAÇÃO DA POLÍTICA NACIONAL” Agradeço, mais uma vez, a atenção e a consideração dispensadas. Forte Abraço!

  19. Stori Diz:

    Grande Bonat
    Estamos numa pior.
    Ainda não temos noção do que pode acontecer com o Brasil.
    A situação financeira do país em geral está caótica.
    Ninguém consegue pagar as suas contas em dia.
    E a vaca tossiu !!!
    E agora… O que fazer ???
    O mínimo que precisamos fazer é tirar o PT do poder, o mais rápido possível.
    Parabéns pela crônica.
    Um abraço.
    Stori

  20. renato balen Diz:

    Caro amigo Bonat!
    Como sempre, oportunas e brilhantes suas considerações. Infelizmente, a situação politico-econômica do nosso país é caótica. A luz no fim do túnel se resume a um pequeno ponto vermelho intermitente.
    um grande abraço do amigo r.balen

  21. Paulo Geraldo Meyer Diz:

    Muito oportuno, caro Gen Bonat… Eu conheci um pouco mais de perto a história do garoto de 19 anos, pautado para morrer. Servi no CMSE, local da tragédia, alguns anos depois do ocorrido, e tive acesso a documentação e fotos daquele triste atentado. O nome da avenida em frente ao QG, é o do garoto, promovido post mortem, Sgt Mário Kozer Filho.
    Mas, com referência à fala ininteligível da referida senhora, parece que combina com a situação atual: vida de gado, povo marcado, povo feliz (da letra da música, cantada por Zé Ramalho…), e então, a vaca que tussa à vontade!!! Parabéns caro Gen Bonat

  22. Paulo Geraldo Meyer Diz:

    Uma correção – depois que postei o comentário, percebi um erro de grafia, que imediatamente quero corrigir – o sobrenome do garoto assassinado quando se serviço de guarda, é Kozel, e não “Koser” como eu escrevi…

  23. Marcos Vinícius Mugnol Diz:

    Prezado Gen Bonat,
    Descobri o seu site, somente, agora. Não perderei nenhum dos seus comentários, daqui para frente, pois será uma forma de “ouvi-lo” novamente e compartilhar de momentos de deleite regados à intelectualidade.
    Forte abraço!

  24. Diva Diz:

    Muito interessante e inteligente sua crônica, caro Bonat…A falta de ânimo, e a incerteza quanto ao futuro, grassam em nosso país. Nunca sabemos qual vai ser a próxima pauta. Parabéns, e abraços…

  25. bonat Diz:

    GAL BONAT
    O QUE SERÁ QUE FIZEMOS PARA TERMOS QUE CONVIVER COM ESSE CASTIGO .
    LUIZ ROBERTO

  26. bonat Diz:

    Caro General Bonat, bom dia:
    Passo a ser mais um de seus leitores a partir do seu brilhante artigo.
    Abs
    Wilson

  27. bonat Diz:

    Sempre um SHOW!!!! Parabéns. Jô

  28. Cherem Diz:

    Amigo Bonat
    Parabéns ! Mais um show de crônica!
    Suas analogias, críticas e irônicas , resumem sentimentos nossos que só você consegue externar
    Lembre-se que a presidenta também tem muitas ” metas” , “teoria da mandioca”, etc, etc…
    Abraço e continuo aguardando a próxima
    Cherem

  29. Roberto Diz:

    Caro amigo Bonat!
    Simplesmente brilhantes as analogias, temperadas com ironia. Gostoso de ler e não precisa desenhar! Rsss…
    Tenho certeza que você não estabeleceu meta… Mas quando atingir a meta, você dobra a meta!
    Entendeu?
    Não?
    Então vou desenhar.. Não consegui! Rsss…
    Grande abraço. Roberto.

  30. Carlos Gama Diz:

    Excelente a abordagem deste triste momento que vivemos, meu caro amigo Bonat.
    A rês pública não tosse mais, atolada no brejo da imoralidade até quase a ponta dos chifres. Pontas que servirão de guia aos chacais e aos abutres, que ainda tentarão usar a carcaça, depois que a bezerrada faminta e sem limites enfraqueceu-a exaurindo-lhe os úberes sempre tão fartos.
    Restará ainda alguma esperança ou até ela já terá morrido?
    Receba o meu fraterno abraço.

  31. Laura Vaz Diz:

    Caro general:
    Seus escritos são tão irônicos e jocosos que é impossível não rir e se deliciar com sua leitura. Mas aí, bate um certo peso na consciência. A realidade é desesperadora e triste e eu deveria estar chorando e não rindo. Mas, o que fazer? Suas crônicas são geniais!!!
    Grande abraço.
    Laura

  32. Nestor Jesus de Sant'Anna Diz:

    Prezado Amigo General Bonat.
    Seu imenso poder de síntese varreu de cabo a rabo, em poucas linhas,toda a sinistra trajetória e o modus operandi dessa senhora e seu partido,notórios e descarados segmentos de uma organização transnacional e apátrida.E o Senhor o fez e faz,como habitualmente,com requintado humor, leveza e competência,ajudando a “pulverizar” a imagem de pessoas acima de quaisquer suspeitas pelas quais ainda OUSAM se passar.Dia 16/8/2015 próximo teremos mais uma pauta patriótica a cumprir.Ela já começou a “tossir”, convocando a UNE e o MST para “pautar” uma contra-pauta. Que ela nos aguarde…

  33. Mario Gardano Diz:

    Caro Bonat,com a verve de sempre você retrata “os anos de chumbo”,
    que passamos atualmente.Parabéns.
    Mario Gardano

  34. Robert Diz:

    Caro amigo Bonat,
    Não sei se rio ou choro, mas seu texto é contundente.Com todas as ressalvas que possam fazer sobre os tempos do Regime Militar, jamais se cogitou arremessar um dicionário em um de nossos presidentes. Afinal de contas nenhum deles abriu a boca e “bostejou” tanto como esta bovina ou seria mesmo vaca?
    Forte abraço,
    Robert

  35. ambrosio Diz:

    prezado Bonat

    gostei muito e vou espalhar pela minha lista toda e pelo face book da minha mulher

    abraços
    ambrosio

  36. Joaquim Cardoso da Silveira Filho Diz:

    Prezado Hamilton,

    Falando em pauta, a presidente Dilma Rousseff é um despautério. Um dia, quem sabe lá na frente, ainda riremos de sua estultícia, mas, por ora, não está dando para suportar. Duro é que o buraco cavado por ela, Lula e o PT é bem mais fundo do que muitos imaginam e precisaremos de muito tempo para consertar o estrago. Vamos ter de roer pedra.
    Parabéns pelo contundente texto, que, além de abordar a parvoíce da presidente, evocou dois dos muitos crimes cometidos pelo bando que tomou conta do poder no Brasil.
    A propósito, domingo, 16 de agosto, está aí.

    Forte abraço,

    Joaquim

  37. Paulo Cesar de Castro Diz:

    Prezado amigo, Bonat,

    Não deixo de ler e de admirar seus artigos, “nem que a vaca tussa”!

    Parabéns! É pena que a tal Senhora não lerá sua crônica e, muito menos, aquele que a lançou nos braços dos eleitores, até porque não lê e nem vai aprender. Quem sabe aprenderiam algo?

    Resta-nos esperar que a justiça seja feita, ainda que “com a vaca tossindo”.

    Um abraço do leitor fiel,

    Gen Castro

  38. GABRIEL Diz:

    Bonat,
    Ouvi dizer que Obama mandou suspender os grampos do telefone da PresidANTA, porque não conseguia entender suas palavras.
    Acho que daria um excelente livro de piadas seus discursos de improvisos.
    Parabéns pela crônica.
    Abs.
    Gabriel (029)

Deixe um Comentário