Helena, uma Santa de 1º de Abril! (clique)

Ainda criança, li Robinson Crusoe. Fiquei impressionado com o personagem de Daniel Defoe, um náufrago que passou 28 anos em imaginária ilha remota, sobrevivendo à fome e aos canibais, até ser resgatado. Desde então, tornei-me fã das aventuras, reais ou não, dos que habitam pequenas e isoladas ilhas.

Convém salientar que, mesmo em livros de ficção, há um pouco de história. Mas, já que hoje é 1º de abril, também é bom alertar que obras de cunho histórico trazem embutida alguma ficção, que não chega a constituir mentira. São, simplesmente, dependendo da intenção do autor, posicionamentos dúbios, por vezes tendenciosos, a respeito de acontecimentos quaisquer.

Há um clássico sobre ilhas isoladas, Santa Helena, de significativo valor histórico. O autor narra os detalhes do dia-a-dia de Napoleão Bonaparte em sua última morada, um longínquo pedaço de terra no meio do Atlântico. Seu litoral rochoso dificultava a aproximação de possíveis navios de resgate. Nela, o Pequeno Corso, acompanhado de reduzido séquito, incluindo amantes, passou a viver em 15 de outubro de 1815. Foi o seu segundo (o primeiro fora em Elba) e derradeiro exílio. Ali ele acabaria morrendo, em 5 de maio de 1821, vitimado por um câncer gástrico, embora franceses, sem convincente comprovação, afirmem ter sido envenenado pela aplicação de excessivas doses de arsênio por seus “carcereiros” ingleses. O final do livro é surpreendente e conduz o leitor a essa conclusão. Seriam meras conjecturas de além-túmulo ou simplesmente ficção? Ou ainda, como preferem alguns, uma licença poética a que se permitiu o autor, eufemismo que os escritores se autoconcedem para exagerar um pouco, para mais ou para menos, ou simplesmente contar uma mentirinha que atenda aos seus propósitos.

Fato é que os ingleses o levaram para lá a fim de evitar que se repetisse o acontecido quando do seu primeiro exílio. Elba, com litoral acessível, localizada no Mediterrâneo, muito perto da França, havia facilitado a sua fuga e o consequente retorno a Paris para governar por mais 100 dias. O detalhe é que, para Elba, Napoleão pôde levar uma escolta de 400 soldados. Em Santa Helena, nenhuma regalia, além das amantes, évidemment ! Entretanto, até mesmo as amantes podem não ser reais, ficando por conta da licença poética do autor, uma mentirinha a mais para apimentar sua obra.

Na verdade, pequenas ilhas isoladas são simplesmente pequenas ilhas isoladas, onde habitam simpáticos ilhéus. Elas têm o poder de aguçar a nossa fantasia. Nossas mentes as concebem como bucólicos e paradisíacos pedaços de terra. É assim que as imaginamos. Ao mesmo tempo, num processo de seletiva boa vontade, esquecemos que em sua exuberante natureza se escondem milhões de invisíveis insetos, mosquitos entre eles, mais temíveis do que uma faminta alcateia, de cujos leões temos, ainda que remotas, chances de fugir. Algumas representam importantes pontos de apoio à navegação marítima e aérea. A intrigante ilha de Páscoa, com suas misteriosas estátuas, perdida no colossal Pacífico, é uma delas.

Mas ilhas, pequenas ou grandes, próximas ou afastadas, devido às limitações que lhes impõe a geografia, não conseguem competir com os gigantescos continentes, particularmente com nações que disponham de extenso território. De alguma delas tornam-se dependentes. Não é possível imaginar, por exemplo, Santa Helena ou Elba comandando a Europa. Essa é a regra. Mas, como sabemos, há exceções para comprovar as regras. Eis o ponto!

Infelizmente, o Brasil vem comprovando a regra. Estamos subordinados a uma ilha, não tão pequena, mas uma ilha, com área muito menor do que a da maioria dos nossos estados. Cuba foi dominada por espanhóis e por americanos. Ao se ver livre deles, teve que entregar-se aos comunistas russos que, ao afundarem o seu rico país, levaram ao naufrágio a pobre Cuba e sua população. Mas o intrigante é que, mesmo assim, ela nos dá ordens. Nossos governantes vivem lá, beijando as mãos sujas de sangue dos ditadores mais longevos das Américas. Mais ainda, a eles entregam boa parte dos escorchantes impostos que sugam do suor dos brasileiros que realmente trabalham, daqueles que não vivem às custas do partido dominante, que dos trabalhadores só tem o nome.

Da ilha, veio a ordem para entregar duas refinarias da Petrobras a Evo Morales, primeiro indício do que aconteceria com a nossa maior empresa. Por influência da mesma ilha, tivemos que ajudar o bispo-companheiro que presidia o Paraguai, concordando em pagar mais pela energia de Itaipu. Submissos à ilha, tratamos as FARC como simples movimento social e não como o produtor da droga que está destruindo o futuro da nossa juventude. A consequência está nas bombas de combustível, nas contas de luz e na violência que se alastra por todo o país.

Por isso tudo, tenho hoje razões de sobra para não mais me interessar por ilhas e suas histórias. Aliás, hoje seria o dia propício para mais uma fala presidencial. A presidente poderia até negar o que consta nos dois parágrafos anteriores. Daríamos a ela o direito à licença poética para que, mais uma vez, dourasse a sua pílula. Creio que nem panelaço haveria. Afinal, hoje é 1º de abril!
(Ilustração: João Carlos Bonat)

41 Respostas para “Helena, uma Santa de 1º de Abril! (clique)”

  1. Newton Breide Diz:

    Caro Bonat:
    Parabéns pelo artigo! Com o brilhantismo de sempre apresenta a justa análise crítica que esse governo ideologicamente retrógrado merece. Só não sei se a presidente teria o correto entendimento caso lesse o seu texto. Talvez ficasse lisonjeada pensando ser a “Napoleão das Américas”, embora um exílio definitivo em Cuba não fosse uma má ideia.
    Continue escrevendo, na pior das hipóteses, para gáudio daqueles que ainda acreditam que este Brasil vai melhorar, apesar da nefasta incompetência de petistas e assemelhados.
    Forte abraço,
    Newton Breide

  2. Edu C. Antunes Diz:

    Amigo Bonat

    “Na Tampa!”. Como dizem alguns. Nada mais paranoico, para um governo que atua em um território de dimensões continentais, se subordinar a um ditador de uma insignificante Ilha, cujas dimensões não ultrapassam um pequeno “pesqueiro” em nosso território.
    Por mais que tente, ainda não consegui compreender o “amor” doentio destas figuras que hoje nos governam por um ditador sanguinário.
    Deve ser a Síndrome de Estocolmo invertida: “Mesmo que não tenham sido submetidos ao feitor, passaram a amá-lo através de desejos ocultos.
    Deve ser algo sobrenatural: falar em Democracia e adorar ditadores, principalmente esquerdistas.
    Amigo Bonat, mesmo assim, existem Ilhas maravilhosas onde poderás descansar e refletir a respeito. Quem sabe acharás a resposta para minha indagações.

    Abc.

    Edu

  3. gladys lessa Diz:

    Caro amigo.

    Parabens pelo artigo, como sempre brilhante e oportuno. abraços e Boa Pácoa.

  4. jose luiz Diz:

    para variar, acertou na mosca !
    um absurdos estarmos submetidos a uma agenda ideológica ultrapassada, própria de diretórios acadêmicos dos anos 60 / 70 , coisa de rancorosos que “deram a vida ” por uma causa, e que não conseguem aceitar que esse projeto fracassou.
    o DESAFORO DE SÃO PAULO tem que ser constantemente denunciado.
    o FORA PT tem que ser mais forte que o fora Dilma, que não passa de uma militante obediente, travestida de gestora eficiente pelo mentor de toda essa palhaçada.o sr Luiz Inácio .

  5. Paulo Cesar de Castro Diz:

    Prezado amigo,
    Parabéns!
    Ainda bem que o cumprimento hoje, 2 de abril, o que transmite veracidade aos cumprimentos.
    Por isso e pelo artigo, parabéns!
    Gen Castro

  6. isabel Sprenger Ribas Diz:

    Caríssimo confrade! Creia, não vale a pena perder o seu magnífico gosto por ilhas, sejam delas de quais forem suas dimensões ou lugar onde estejam situadas. Não creio que o desgoverno conjuntural mereça esta sua abstinência em relação ao seu gosto territorial já que este remonta aos idos de sua infância, estágio de tempo que é o patamar que alicerça a vida de todos nós.
    Quase nada eu sabia sobre tudo o que falou sobre Napoleão Bonaparte. Restava-me na memória muito pouca coisa do aprendizado algo elementar dos bancos escolares sobre a história europeia. Por este reavivar cultural, agradeço.
    Mas, sobretudo enalteço as suas palavras, tão definitivamente nacionalistas, porque delas sou integralmente adepta. Vivemos tempos escuros neste nosso amado país, perfeitamente perceptíveis por quem raciocina sobre a realidade. Mas eu confio no tempo. O povo brasileiro merece aprender. Ele é bom! Para você, caro Gen. Bonat meu respeito e admiração. Sempre.

  7. Carlos Gama Diz:

    Cumprimento-o, meu caro amigo, por mais estas linhas claras sobre o nosso triste momento político. Apesar de ser fã dos seus escritos, comecei a leitura com mais entusiasmo que o usual, pois descobri mais uma afinidade: aprendi a ler, nas páginas de Robinson Crusoé e de Don Quixote.
    Depois, analisando friamente todos os envolvimentos do Brasil com os países comunistas das Américas, especialmente com Cuba e, agora, esse aceite de empréstimo do banco de desenvolvimento chinês para “socorrer” a Petrobrás, chego à conclusão – ainda que possa parecer insana – de que esse “jogo” para implantação do regime comunista no Brasil poderá fazer de nós os protagonistas de uma terceira guerra mundial.

  8. Joaquim Rocha Diz:

    Prezado amigo Bonat
    Tens absoluta razão, até me atrevo a ir adiante, acho que estamos à deriva e vamos afundar na lama da corrupção, enquanto a outra ilha está inexplicavelmente, firme.
    Abraços e uma Feliz Páscoa para vc e sua estimada família.
    Joaquim Rocha

  9. Amilton Cesar Marinho Dias Diz:

    Prezado amigo,
    Aprecio muito sua lógica e o raciocínio preciso dos fatos.
    A analogia entre os fatos, e a conclusão deste é de quem realmente tem uma visão ampla e real dos fatos.
    Parabéns por este belo artigo, presente de pascoa.
    Amilton

  10. Cezar Benetti Diz:

    Gen Bonat,

    Parabéns pelo artigo. Como explicar o fascínio que Cuba ainda exerce em algumas mentes retrógradas dos ditos intelectuais brasileiros?
    Abç

  11. Beth Diz:

    Demorou mas valeu a pena!
    Ótima a crônica! Eu ainda romantizo as ilhas, mas não essa ilha a que você se refere!
    Abraços!

  12. D' Amico Diz:

    Parabéns pelo artigo.
    A comparação com entre as ilhas e os fatos foi genial.
    Abraço

  13. Juan Koffler Diz:

    Preclaro amigo Bonat,
    Sinto muitíssimo que a paradisíaca e caribenha ilha (Cuba) esteja pagando o pato em razão da quadrilha de energúmenos que a sequestrou há mais de meia década. Pobre Cuba, pois nem bem emergiu das mãos de Baptista (outro reles criminoso), já afundou novamente em mãos e mentes mais insanas ainda – Fidel e Che -.
    Muito válido seu resgate sobre o tema das ilhas que, para mim, são lugares mais que especiais, verdadeiros paraísos microscópicos ante a anarquia que reina nas nações continentais. Exemplos sobram.
    Gostei do seu texto (como de usual) – que dispensava, concessa venia, a menção ao péssimo exemplo cubano -. Aliás, permita-me dizer-lhe que o que destrói tais ilhas é a mão do homem, com sua implacável gana de destroçar tudo o que a rica natureza nos oferece graciosamente.
    Um verdadeiro paradoxo existencial, estampado sem dó nem piedade em minha tese de doutoramento: “O homem: esse projeto mal-acabado” (1976).
    Felicitações por mais esse criativo texto!

  14. Afonso Pires Faria Diz:

    Brilhante, sem reparos. Tem história e um humor sarcástico quase invisível.
    Afonso

  15. Aurelio Diz:

    Clara, logica, corajosamente autentica e verossimil, como é o seu estilo…Parabens. Fraterno Abraço

  16. Tercio Diz:

    Crônica inteligente que nos conduz em ávido e atraente percurso pelas palavras do texto. Leio com regularidade tuas sempre tão esperadas composições literárias. Como fazia tempo que não enfatizava esse costume, aqui fica mais um registro.
    Tércio
    PS: ainda aguardo o recebimento do teu último livro, bem como as informações sobre a forma de como realizar o pagamento

  17. ROSELENE FERREIRA Diz:

    MARAVILHA DAS MARAVILHAS ESTA TUA ESCRITA !!!!!!
    ADORO O FECHAMENTO DAS TUAS CRÔNICAS.
    PARABÉNS PELA SAGACIDADE.
    BJS.

  18. ALFREDO CHEREM FILHO Diz:

    Prezado General
    Como já é normal em suas crônicas, sua inteligência e percepção dos acontecimentos retratam a perfeita realidade que vivemos, parabéns, excelente, obrigado pelo envio.
    Um forte abraço .
    Alfredo
    03.04.15

  19. bonat Diz:

    Meu Comandante:
    Parabéns pela crônica mais uma vez.
    Outrossim informo que ainda não recebi o seu livro.
    Forte abraço e Feliz Páscoa.
    Gabriel (Oliveira 643)

  20. bonat Diz:

    Parabéns, Bonat!
    Vale a pena ler você!
    Ansiando pela chegada do novo livro.
    Fraterno abraço,
    João Luiz

  21. bonat Diz:

    AMIGO BONAT.
    A ILHA É O FATO.
    AS PESSOAS DAS ILHAS FAZEM A DIFERENÇA.
    PARABÉNS.
    CONTINUE.
    ABRAÇOS.
    JOAQUIM

  22. bonat Diz:

    Excelente, meu General, muito inspirado!
    Santos

  23. bonat Diz:

    Parabéns General Bonat p/ novo texto. Conrado

  24. bonat Diz:

    GAL BONAT
    MAIS UM AGRADÁVEL E OPORTUNO ARTIGO.
    APROVEITO A OPORTUNIDADE PARA COMUNICAR
    QUE AINDA NÃO RECEBI O SEU LIVRO CISCO E FRANCISCO
    ABRAÇOS. PIRES

  25. bonat Diz:

    Caro Bonat,
    Como sempre, o seu texto é brilhante e oportuno.
    Um forte e fraterno abraço, Marco

  26. Luiz Antônio Cendofanti Diz:

    Bonat : Parabéns pelo excelente texto. Um forte abraço.

  27. bonat Diz:

    Grande Bonat,
    Como sempre brilhante, demonstrando inteligência, criatividade, oportunismo,
    e conhecimento. Parabéns, forte abraço e Feliz Páscoa.
    Renato
    Obs: Recebi o livro ontem e ainda hoje farei o pagamento. Grato

  28. Joaquim Cardoso da Silveira Filho Diz:

    Caro Hamilton,
    Além da ilustração histórica, a precisa crítica ao conluio do Brasil com a nefanda ditadura cubana e outros abomináveis governos latino-americanos.Parabéns por sua pena brilhante a serviço da resistência ao mal.
    Forte abraço,

    Joaquim

  29. Brugalli Diz:

    Caro amigo.As ilhas de Elba e Santa Helena atestam a finitude do poder tanto de Napoleão quanto ao dos irmãos Castro, donos de Cuba. Os aloprados do PT, assim definidos pelo Papa do partido, também serão letra morta… A perda de uma refinaria e de créditos vultosos em países africanos, mostram que o governo brasileiro curvou-se e, quanto mais curvado, mais o traseiro aparece… A fala da presidente no dia 1º de abril, foi uma sacada antológica…Parabéns.
    Um abraço do Brugalli.

  30. An quises Paulo Stori Paquete Diz:

    Valeu Bonat Mais uma vez você nos leva a imaginar lugares por este mundão. E também mostra a situação caótica que os PTralhas estão nos lançando. Dias melhores virão !!! Um abraço.
    Stori

  31. anita zippin Diz:

    Boa crônica, e a comparação interessante. final da crÔnica ainda mais belo, primeiro de abril!!!

  32. André Dambros Diz:

    Parabéns caro amigo.
    Vejo que a cada dia esta Ilha se agiganta em poderes de domínio sobre nossas já fragilizadas economias. E nós, como cães:
    Ladrando em quanto a caravana passa.
    Muito feliz a sua colocação.
    Um forte abraço.
    André

  33. Zatti Diz:

    Bonat, Li e gostei. . . não do fato, mas do escrito!
    Com Aquele Abraço!

  34. Isaac Lawder Diz:

    Meu Caro Ge. Bonat, gostei muito do texto, um abraço

  35. amaury koschinski Diz:

    Caro amigo Gen Bonat. Parabéns pela crônica. Tudo que escreve, além de muito bem organizado seus scripts, são de uma coerêcia literária impressionante. Tudo isso ajudou a conduzir-lhe para o lugar dos imortais na Academia. Um abração.

  36. Luiz Carlos Soluchinsky Diz:

    Bela aula de história, fechando com a nossa triste realidade. Feliz Páscoa.Abraço..

  37. Luiz Carlos Soluchinsky Diz:

    Uma bela aula de história, fechando com a nossa cruel realidade. Feliz Páscoa. Abraço.

  38. EDMAR LUIZ KRISTOCHIK Diz:

    Eu não consigo entender essa insistência em defender o ultrapassado Socialismo cubano, está mais do que provado que o dito regime só serve para os outros e não para quem o defende, geralmente, burgueses que nunca se desfizeram de seus bens.

  39. renato balen Diz:

    Caro amigo Bonat!
    Parabéns pela sua crônica. Como sempre muito atual mostrando a realidade que vivemos em nosso país.
    um abraço do amigo
    renato balen

  40. Nestor Jesus de Sant'Anna Diz:

    Caro amigo General Bonat.
    Prefiro seus textos com esse substrato político contundente e explícito.Faz bem e revigora as esperanças de se tirar o país das mãos dessa malta essas suas rasantes investidas sobre os objetivos apátridas que esse des+governo pautou desde que se APOSSOU DO BRASIL,agora praticados aberta, vertiginosa e alucinadamente.Como ato final acabou de aparelhar o supremo e tem o comissário berzoini escalado para calar a mídia, “democratizá-la”, segundo seu eufemismo reles e recorrente. Reconforta e revigora , ainda mais,a denúncia, vinda do seu acreditado bastião democrata/verde-amarelo, da confirmação das manobras brasi/bolivarianas em relação à Itaipu(à época defendida ardorosamente pelo senador cristovam buarque, que mais parecia um político paraguaio), à planta da pobre Petrobras na Bolívia, que ele(governo),agora, numa ação midiática/propagandista diz “defender”, insinuando subliminarmente que a OPERAÇÃO LAVA JATO DE SUA EXCELÊNCIA O JUIZ SÉRGIO MORO opõe-se aos interesses nacionais e da própria Petrobras. Aliás, interesses nacionais. Interesses estes que o petê e base aliada pisaram e jogaram no lixo desde que assumiram e assaltaram o poder. Crônicas como esta,sem olores, sem retoques,incisiva, explícita e destemida devem sempre pautar este seu Blog,até que o Brasil afaste o perigo comuno/bolivariano para sempre. E “VAMOS PRA RUA” no próximo dia 12 de abril,vestidos com as cores da nossa bandeira.

  41. Laura Vaz Diz:

    Caro general:
    Que texto! Impecável da primeira à última sílaba! Traduz o pensamento de muitos que não encontram as palavras certas para exprimi-lo. Parabéns!
    Um forte abraço.
    Laura

Deixe um Comentário