Um Papai Noel Radical (clique)

Março de 1987
Divulgada no jornal, a confusão na Sierra Maestra custara a vida de um garçom. A viúva estava desesperada, pois o patrão não pagara os encargos sociais do falecido. Petrolino dobrou o jornal. Pela janela, viu passarem ônibus, todos lotados. No seu, climatizado, ninguém ia em pé, exceto em dias de protesto, como aquele. Circulando pelo corredor, o representante do sindicato dava instruções de como proceder quando parassem na entrada da refinaria.

Petrolino era extremamente dedicado à Empresa. Ganhava muito bem. Numa época de dólar supervalorizado, os reajustes salariais acompanhavam as variações da moeda americana. O combustível mais caro levava a inflação às alturas. Consciente disso, Petrolino considerava exageradas certas reivindicações. Se pudesse, não desembarcaria. Mas não teve opção. Um carro de som bloqueava a passagem dos ônibus, enquanto piqueteiros ameaçavam quem tentasse prosseguir a pé.

Entusiasmado pela presença da imprensa, o presidente do Sindipetro deitou falação por mais de hora. Lá do alto, bradou por outro reajuste. Entre tantas benesses, exigia ônibus novos para os funcionários (Petrolino lembrou do povão no busão), mais direitos sociais (aqueles negados à pobre viúva do garçom da Sierra Mestra) e o mesmo adicional de periculosidade – inclusive para os membros do sindicato – que, merecidamente, percebiam os petroleiros que se arriscavam nas plataformas da Bacia de Campos. Ao encerrar, sua voz irada ameaçou com nova greve.

De volta ao ônibus, Petrolino foi questionado pelo vizinho de poltrona se ouvira falar na boate Sierra Maestra. – “Li algo a respeito”. – “Sabe quem é o dono? O moço que acaba de deitar falação”. No dia seguinte, o líder petroleiro foi primeira página dos jornais. Do proprietário da Sierra Maestra, embora fossem a mesma pessoa, nunca mais se falou.

Janeiro de 2007
Após 35 anos de trabalho, Petrolino se aposentou. Passou a ser, apenas, o morador do quinto andar. Amargurado, percebeu que ninguém se lembrava da sua dedicação à Empresa, enquanto antigos líderes sindicais tinham alçado aos mais elevados cargos.

Decidiu reagir. Mergulhou nas obras de Jean-Paul Sartre e Rimbaud. Descobriu que sua vocação, como a dos sindicalistas, era ser de esquerda. Mas não queria ser um esquerdinha qualquer. Seria de “gauche”!

Passou a saudar a todos com um “bonjour” e a tratar de modo raivoso aquele burguês, dono da mercearia que o explorava. Precisava mudar o visual, pois imagem é tudo. Deixou crescer barba e cabelo. Eram brancos, mas pouco importava. Inspirado em Fidel, comprou um par de botas, uma boina e uma camisa vermelha. Para impactar, providenciou uma calça igualmente vermelha, ou “rouge”, como dizia para impressionar os vizinhos. Com a radical vestimenta, perambulava ruidosamente pelo bairro, pregando a revolução.

Dezembro de 2007
A filha chegou para passar o Natal. Petrolino queria mostrar-lhe o quanto tinha evoluído. Aguardou-a vestido a caráter. Quando a porta se abriu, os netos correram para abraçá-lo: “Papai Noel, nós te amamos!”

Rendido à pureza das crianças, o radical Petrolino só esperou o Natal passar. Raspou a barba e rasgou a fantasia, que passou a tachar de “ridicule”.

Voltou a ser o velho Petrolino, feliz por ter ajudado, honestamente, a Petrobras, orgulho dos brasileiros, a tornar-se respeitada no mundo todo.

Dezembro de 2014
A Sierra Maestra deixou de existir. Da viúva do garçom nunca mais se ouviu falar. Seu proprietário, porém, agora alto dirigente de empresa estatal, continua vivo.

Em jornais e revistas, o bilionário escândalo descoberto pela Operação Lava Jato é manchete. Petrolino se aborrece. Encontra o nome de antigos sindicalistas envolvidos em supostas falcatruas. Mas não se surpreende, pois, se já nos anos 80, eles procuravam tirar tudo o que podiam da Empresa, agora, que se consideram os seus donos, acreditam que não devem satisfação a ninguém, nem mesmo a Noel, que vem aí, por coincidência, todo de vermelho radical.
ILUSTRAÇÃO DE JOÃO CARLOS BONAT

35 Respostas para “Um Papai Noel Radical (clique)”

  1. ivan furlan Diz:

    Caro amigo Gal Bonat, o que resta dizer, Feliz Natal e um ótimo Ano Novo, e é lógico, com um ótimo presente nas bombas de combustível.

  2. bonat Diz:

    Grato, general Bonat, por mais uma crônica. Uma feliz festa em família, para comemorar o natalício do Menino. É o que lhe deseja a família Maier.
    F. Maier

  3. bonat Diz:

    Parabéns!
    Abraços.
    Figueiredo

  4. Caruso Diz:

    Parabéns.
    O bom combate continua.
    Abraços Caruso

  5. Joaquim Rocha Diz:

    Prezado amigo Bonat
    Cumprimentos pela crônica oportuna. Bons tempos quando os presidentes da Petrobras eram Generais da Reserva, não havia falcatruas. Ainda que mal comparando, o mensalão virou uma mera mesada, frente ao rombo da estatal. A questão agora, é: o que haverá com os culpados? Absolvição, insuficiencia de provas, prisão domiciliar, prisão albergue, devolverão o dinheiro lavado? É como diz o ditado: enquanto a carruagem passa, os cães ladram …
    Abraços do amigo
    Joaquim Rocha

  6. maria elisabeth nascimento Diz:

    Caro Hamilton:
    Muito interessante a crônica, abordando esse escândalo que está acontecendo e a forma de abordá-la.
    Abraços.

  7. André Dambros Diz:

    Muito oportuno o comentário. Aliás, com riqueza de detalhes. e ai vamos fazer aquela perguntinha da Globo: CADÊ O DINHEIRO QUE TAVA AQUI ?
    O amigo Joaquim tem toda a razão: – Se fala em devolução do dinheiro lavado ?
    Parabéns pela crônica e obrigado por comparti-la.
    Um forte abraço.
    André

  8. Diva Diz:

    Como petroleira aposentada, e jamais tendo sido sindicalista… Te digo Bonat, a maior parte dos petroleiros não tem nada a ber com este horror. Para comprar uma caixa de clips, tínhamos que preencher um formulário em 2 vias chamado Solicitação de Material…é uma empresa extremamente burocratica … Não se lida com dinheiro vivo…Abs, extremamente decepcionada, inclusive com meu salário, corrigido anualmente pelo IPCA…abs

  9. Alfredo Cherem Filho Diz:

    Prezado General
    Vivemos a vergonha internacional, que jamais foi vista na história de nossa pátria, acho que a empresa não suporta tal subtração, o tesouro (nós) terá que arcar com o prejuízo, presumo que no final será privatizada.
    Maravilhosa e muito atual suas palavras, obrigado pelo envio.
    Um Grande Abraço
    Alfredo

  10. bonat Diz:

    Muito obrigado, General Bonat. De maneira jocosa, o senhor coloca o punhal da verdade na fétida ferida da corrupção dos “donos da petrobras”. Lourenço

  11. Gabriel (Oliveira 643) Diz:

    COMO SEMPRE, SENSACIONAL O COMENTÁRIO.

    PARABÉNS.
    GABRIEL (OLIVEIRA 643)

  12. D´AMICO Diz:

    Caro amigo Gen Bonat
    Gostei. Reafirma o que penso. Sindicalistas jamais poderiam ser poder de direção numa empresa, mas, infelizmente, não é o caso da Petrobras e de outras estatais brasileiras. O destino é a falencia ou no caso a cobrança da conta para o idiota do contribuinte brasileiro.

  13. GABRIEL CRUZ PIRES RIBEIRO Diz:

    Bonat,
    Acho que o Papai Noel deveria ser azul, chega de vermelho.
    O pior de tudo é que ainda estamos no começo das investigações.
    E quando as outras estatais forem investigadas?
    Será que vão conseguir quebrar o Brasil?
    Abs.
    Gabriel (029).

  14. anita zippin Diz:

    muito feliz sua crônica ao misturar o maior escândalo da História do Brasil-caso Petrobrás, com sindicalismo e papai noel.
    de parabéns a inspiração deste que vem se firmando cada vez mais nas letras do Paraná e do Brasil. continue a se inspirar e honrar a cadeira patronímica que ocupa na Academia de Letras José de Alencar.

  15. Alceu Cafruni Diz:

    Obrigado, amigo Bonat, por me colocar, novamente, na tua lista de correspondentes.Quanto ao teu artigo, podemos constatar que, infelizmente, nossa PETROBRAS já não é mais nossa e está formalmente delapidada pelos corruptos desse governo petista. Cordial abraço.Cafruni

  16. Nestor Jesus de Sant'Anna Diz:

    Parabéns Chefe, pelo oportuno e retumbante retorno ao seu intrépido bastião. Ferrolho à retaguarda e chumbo neles…

  17. Mario Gardano Diz:

    Amigo Bonat, excelente narrativa, você traça o começo do fim, e o faz passando a impressão que os sindipetralhas continuarão eternamente na labuta de furar o poço, e os pobres Petronilhos, assustados assistem com tristeza da janela do 5º andar.
    abraços
    Mario Gardano

  18. bonat Diz:

    Valeu Bonat,
    Sempre uma boa leitura.
    Grato
    Jorge

  19. Juan Koffler Diz:

    Excelente, meu caro Bonat, como aliás soem ser suas crônicas.
    Apenas não consigo compreender o desandar da carruagem. É como se estivesse ladeira abaixo e de ré, enquanto nós, sociedade e as FFAA, assistimos de camarote, silentes e sem esboçar qualquer reação!
    O que houve com o orgulho pátrio que nos motivou em 64, quando sequer se pensava em assaltar os cofres abarrotados do “ouro negro”?!
    Perdoe-me, caro amigo, mas meus cansados neurônios ainda se recusam a assimilar tamanho crime de lesa-pátria!
    Parem o mundo que quero descer!

  20. Paulo Cesar Feltes Diz:

    Caro amigo Gen. Bonat, como de costume, mais um comentário de extrema inteligência. O Petrolino não está só, tem também o Eletrolino e outros linos mais. O que me resta é a esperança e a vontade de lutar, conte comigo sempre. Feliz Natal e ótimo 2015.

  21. EDMAR LUIZ KRISTOCHIK Diz:

    Nunca na História desse país tivemos tanta roubalheira. E o pior, as reversões dessas falcatruas para o partido do governo se fez através de doações legalizadas. É muita cara de pau do “Barbudo”. O meu pedido para 2015 é ver esse sem-vergonha atrás das grades… é o mínimo para compensar tanta falta de caráter.

  22. SALIM MUSSI Diz:

    Prezado amigo Gen.Bonat

    Permita-me , primeiramente, cumprimentar – lhe e agradecer pelo envio de sua crônica, como sempre oportuna. E digo que saudades dos bons tempos quando os Presidentes da República eram Generais da Reserva, sabiam o que acontecia em seu governo e não deixavam fazer falcatruas. Ainda que mal comparando, o mensalão virou ação para jurisdição das varas Pequenas Causas frente ao rombo da estatal e dos outros rombo que, com certeza, virão.
    Mas, ainda existe no Brasil forças republicanas que trabalham.com grandes forças morais que têm, e com certeza haverá reação..
    Vejamos, um dos passos: o Brasil ganha de presente, neste final de ano, uma entidade que tem tudo para dar no que falar daqui para frente. A Associação dos Juízes Anticorrupção – AJA será instituída no próximo dia 15 de dezembro, em São Paulo. Um dos membros do Judiciário que pretende aderir à AJA é o juiz federal Sérgio Fernando Moro e, o ilustre aposentado Joaquim Barbosa também se filiar, o time togado ganha peso político para pressionar o Judiciário a funcionar Direito
    E mais, permita-me transcrever parte da bela dissertação do Gen. Ex.. Maynard Marques de Santa Rosa, na reserva. Edição do Alerta Total, de 06.12.2014

    ”Infelizmente, as elites acadêmicas parecem preferir o apelo da propaganda internacional ao realismo da memória nacional.

    A realidade dos fatos contrapõe-se à opinião civilista. Não são poucos os casos de instituições criadas por idealistas militares que, entregues à administração civil, foram desviadas de seu curso, com prejuízo para o País.

    O trabalho humanitário do marechal Rondon na proteção ao índio evoluiu para a atual FUNAI, que foi entregue aos antropólogos da ação e passou a agir em benefício de interesses globalistas, colocando em risco a soberania nacional.

    A PETROBRAS, nascida das campanhas nacionalistas do general Horta Barbosa, foi entregue ao sindicalismo gramscista do PT e perdeu metade do seu valor comercial. Somente a parte do desfalque já comprovada equivale à soma dos orçamentos nacionais da Bolívia e do Paraguai.

    A EMBRAER e a EMBRATEL, criadas pelo empreendedorismo militar, foram terceirizadas, ficando imunes às ideologias, porém sujeitas aos interesses de mercado.

    O Centro Tecnológico da Marinha conseguiu a façanha de um processo singular e econômico de enriquecimento de urânio, que atrai a curiosidade mundial. Por razões de segurança, sua industrialização não poderá ser delegada.

    O descaso das elites civis para com os militares tem origem nos costumes do colonizador português. Conta o historiador João Lúcio de Azevedo que, em 1761, durante a Guerra dos Sete Anos, antes de entregar o ultimato em Lisboa, o embaixador francês foi abordado por um capitão e vários sargentos nativos, que lhe vieram pedir esmola.

    Durante a Regência, Feijó criou a Guarda Nacional, para não depender do Exército. E o sistema de recrutamento continuou discriminatório, restringindo-se aos pobres, presidiários, desocupados e marginais. O serviço militar só se tornou universal e obrigatório em 1918, graças ao militarismo de Olavo Bilac.

    No mundo atual, a agenda hegemônica substituiu a dialética belicista pelo “softpower” e o Brasil tornou-se ambiente operacional de quinta geração. O nacionalismo e a soberania viraram alvos prioritários. Os partidos de esquerda, órfãos de ideias originais desde a queda do muro de Berlim, apropriaram-se, inadvertidamente, das bandeiras do capital global.

    As Forças Armadas brasileiras tornaram-se público-alvo de campanhas patrocinadas pelas fundações Ford, Rockefeller e Carnegie, desde a década de 1980, e, mais recentemente, das “Open Society Foundations” de George Soros.

    O discurso do presidente da ABED lembra os “slogans” das agências difusoras da teoria do “controle civil objetivo” de Samuel Huntington.

    Neste momento, é vital para o Brasil a união das Forças Armadas, a fim de exercer maior protagonismo político.

    Para o bem do país, o Ministério da Defesa precisa ser militarizado com a cultura castrense, a fim de preservar-se das ideologias alienígenas e de outras sequelas, sobretudo no ensino militar e nos contratos e licitações. Não pode caber discriminação alguma entre civis e militares em um ambiente patriótico e honesto. “

    Abraços

    Salim Mussi

  23. Marcio Fortes Diz:

    Caro gen Bonat,
    Ficou estupenda essa sua cronica.
    Um presente pra nossos ouvidos sedentos de bons versos.
    Pena que poucos a entendam.
    Haverá desdobramentos após a velhinho tirar a vestimenta? Quando galinha tiver dentes? Será??

    F Abs do amigo

    MFORTES-393

  24. bonat Diz:

    Grande Bonat,
    Esta exige raciocínio.
    Parabéns
    Um abraço
    Renato

  25. isabel Sprenger Ribas Diz:

    Bonat. É uma evidencia generalizada, seus textos são agradáveis, oportunos e verídicos sobre os temas abordados. Esta opinião pessoal coaduna com a de muitas pessoas, nada digo de novo!
    Mas digo, sim, que o modo como enfoca os assuntos e a criatividade de suas ponderações é muito bonita e muito boa de ser lida. Achar nova modalidade de dizer o obvio,o terrível, o trágico, o vergonhoso escândalo da ORGULHANTE PETROBRAS DE OUTRORA é, sem dúvida, um despertar de interesses sobre este assunto que( terrível realidade…
    )tende a ser esquecido pelo povo nacional…Parabéns, caro amigo. Em meu nome, isabel Sprenger Ribas e no de meu marido, João de Azevedo Barbosa Ribas Filho

  26. Laura Vaz Diz:

    Caro general:
    Mais um excelente texto para a coleção. Parabéns! Pena que, mais do que sorrir, nos dá vontade de chorar ( de raiva, de tristeza, de desespero por não podermos fazer nada para mudar a situação).
    Um grande abraço e um bom Natal a todos!
    Que Papai Noel nos traga de presente aquilo que tanto almejamos: JUSTIÇA.
    Laura

  27. SALIM MUSSI Diz:

    Permita-me, Estimado Gen.Bonat, complementar com as profecias feitas por pessoas ilustres que respeitavam e honraram os cargos que exerciam e exerceram e sabiam o que faziam que para tanto transcrevo abaixo para enriquecer meu pobre comentário das 9;41 h :

    Uma profecia atual de quase 100 anos!:
    da filósofa russo-americana Ayn Rand

    “Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada, e a honestidade se converte em auto sacrifício, então você poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada.”

    A profecia do General Geisel
    “Se é a vontade do povo brasileiro eu promoverei a Abertura Política no Brasil. Mas chegará um tempo que o povo sentirá saudade da Ditadura Militar.
    Pois muitos desses que lideram o fim não estão visando o bem do povo mas sim seus próprios interesses.”

    A profecia do General Figueiredo

    “Vocês querem, então vou reconhecer esse sindicato (PT). Mas não esqueçam que esse partido chegará ao Poder. Lá estando tudo fará para instituir o “comunismo”. Nesse dia vocês vão querer tirá-lo de lá. E para tirá-lo de lá será a custa de muito sangue. Sangue Brasileiro.”

    Abraços republicamos
    Salim

  28. Paulo Cesar de Castro Diz:

    Estimado amigo, Bonat,

    “Feliz Natal” e “Feliz Ano Novo”, votos extensivos a seus entes queridos. Cumprimentos por mais uma inspirada e atraente crônica.
    “Boas Festas”,

    Gen Castro

  29. João Bala Diz:

    Caro Amigo
    Gal. Bonat
    Muito boa sua crônica,eu e Marli gostamos muito como sempre.
    Feliz Natal e um Ano Novo repleto de realizações.
    Um Abraço
    Fique com Deus

  30. Carlos Gama Diz:

    Meu caro amigo, eu sempre acabo me alongando nos comentários, porque as suas crônicas merecem.
    Desta vez, contudo, já que são tantos os espertos barbudos e vestidos de vermelho, só me resta dizer:
    Haja saco!

  31. Shitiro Tanji Diz:

    Caro amigo, General Bonat

    Parabéns pela crônica. Excelente e oportuna.

    Enquanto só o Papai Noel estiver vestindo roupa vermelha, reside uma esperança.
    Vamos rezar para que as togas do Supremo continuem pretas, senão…

    Desejo um Feliz Natal e um Ano Novo de muita paz, saúde e alegria.

    Abraços

    S. Tanji

  32. MOZAR LUIZ SOARES DE SOUSA Diz:

    Prezado General Hamilton Bonat
    Estou chegando a esse seu blog maravilhoso através de meu irmão Márcio Soares de Sousa, de Curitiba. Sou coronel da reserva da Polícia Militar de Minas Gerais. Lendo “Um Papai Noel Radical” e diversos comentários sobre o texto, em especial os de Salim Mussi, continuo firmemente acreditando que o nosso país ainda tem conserto, pois a quantidade de pessoas descontentes com o atual “estado de coisas”, que veio assolar o nosso querido Brasil, através principalmente do surgimento do vermelho PT, é muito grande. Como nos ensinaram os antepassados, a esperança é a última que morre. E, assim sendo, não custa continuar sonhando que ainda conseguiremos acertar os rumos, em busca de uma terra melhor para nossos pósteros, livre dos acontecimentos nefastos, bastante ligados à corrupção desenfreada que temos assistido e que solapa a nossa já combalida economia, em prejuízo principalmente da saúde e da educação de nosso povo. Espero continuar tendo o privilégio de saborear as suculentas matérias publicadas em seu blog. Feliz Natal e um 2015 com menos corrupção e impunidade. Nós merecemos! Abraços. Mozar Luiz Soares de Sousa

  33. J. F. Moleda Diz:

    Meu grande e abençoado amigo General Bonat, ler suas cronicas, são sempre motivo de reflexão ao que acontece no nosso cotidiano, isso você faz com tranquilidade, nos da um Q de riso e gratidão. Depois de ler os outros comentários, fortifica ainda mais o que tu alinhou em palavras e a sabedoria desses seus amigos é algo notável, assim como a sua, admiro sua expressão, admiro os demais leitores, me chamou atenção todos que escreveram, por demais o Salim Mussi, parabéns por ter um confrade assim, como já te afirmei, quando crescer quero ser igualzinho a oce. Moleda, seu amigo de Foz do Iguaçu e de Curitiba, já que de Caxias do Sul, só a ex-esposa e a sogra. De-lhe Bonat 2015…

  34. renato balen Diz:

    Caro amigo Bonat!
    Parabéns pela sua crônica. O partido vermelho e castrista (PT) distribuiu cargos em empresas públicas onde poderiam dilapidar o patrimônio brasileiro em benefício dos que estão no poder e deles próprios. Lembro que, no início de minha carreira como profissional da saúde, consegui emprego em sindicatos e lá pude constatar que só adquiriam materiais médicos e odontológicos do vendedor que fornecesse notas fiscais com o dobro do valor realmente adquirido. Para a maioria dos dirigentes sindicais isto tornou-se rotina e, hoje, como dirigentes de estatais não agem de forma diferenciada, já estão familiarizados com estas formas de negociar e, qual o sindicato que não está ligado direta ou indiretamente a este partido, o sindicato tornou-se uma escola para atividades deste genero.
    Infelizmente, nós, brasileiros, vamos pagar o preço da corrupção em impostos e menos investimentos em saúde, segurança e educação. Os corruPTos, alguns deles serão condenados e irão cumprir suas penas durante alguns dias em celas especiais e, após, cumprirão as mesmas no conforto de suas próprias casas, devolver o fruto do roubo NUNCA, apenas irão desfrutá-lo.
    um grande abraço e um feliz natal e anos novo
    do amigo
    renato balen – caxias do sul – rs

  35. Joaquim Cardoso da Silveira Filho Diz:

    Prezado Hamilton,
    O Brasil é o país das farsas que se repetem interminavelmente, como disse o colunista Augusto Nunes, da Veja. Seremos, um dia, capazes de produzir figuras lúcidas e luminosas como Margaret Tatcher ou estaremos condenados a suportas Dilmas?
    Os escândalos estão aí e mais virão. O que resultará de tudo? Não espero muito. Aliás, espero pouco. O Brasil dos meus sonhos desapareceu como o Papai Noel de minha infância.
    Parabéns pela cônica oportuna.
    Forte abraço,
    Joaquim

Deixe um Comentário