Adão ainda vive (clique)

Não vou falar do Adão e da Eva, nem de sua maçã. Se alguém inventou essa história, esteja certo de que não fui eu. Ela está nas escrituras sagradas e vale pela mensagem que pretende transmitir. Mas a verdade é que o pecado do primeiro dos homens nos parece insignificante, pois já faz tempo que comer maçãs deixou de ser pecado, muito menos original, mesmo que as frutas pertençam à outra pessoa, como à Eva, por exemplo.

Milênios depois, outro Adão surgiria, o Latorre. A veracidade de sua história está comprovada em fotografias e depoimentos. As imagens em que aparece com sua faca afiada na carótida das vítimas revelam um pecado (ou seria crime?) tremendamente mais grave. Era tempo de Revolução Federalista, também conhecida como revolução das degolas, praticadas cruelmente por ambos os contendores. Enquanto os maragatos (federalistas) contavam com os “serviços” de Latorre, os pica-paus (legalistas) dispunham de Cherengue (ou Xerengue) e seu sempre bem amolado facão. Sei, caro leitor, que lhe dará uma certa coceira no pescoço, mas me permita transcrever o que encontrei no google a respeito.

“Conta a história que numa tarde e noite inteiras, a faca de Adão Latorre não parou um só instante de cortar carótidas. Dos mil prisioneiros encerrados como animais na mangueira de pedra, mais de trezentos foram degolados e castrados. Houve os que foram laçados e arrastados até o chão do sacrifício, ali despidos antes de serem imolados. E dizem os que escaparam, que Adão chamava um a um e mandava-os pronunciar a letra jota. Aquele que, em vez de jota, pronunciava rota, era castelhano e recebia, incontinenti, o aço afiado que lhe abria o talho de orelha a orelha. Adão firmava a ponta da faca bem chairada embaixo do nariz da vítima e quando esta, instintivamente, levava a cabeça para trás, com a perícia de bom conhecedor do ofício, lhe desfechava um rápido e profundo talho no pescoço.”

Antes que você, com toda razão, desista de ler, vou resumir: a Revolução Federalista (1893-1895) foi das mais sangrentas que tivemos. Causou pelo menos 10.000 mortos e incontáveis feridos.

Pensávamos que barbaridades, tão tétricas quanto cabeças decepadas, jamais sairiam do passado. Mas os ditos humanos não têm mesmo jeito. Não é que o barbarismo está de volta? Por sorte, bem longe daqui. Ele agora nos é servido com uma pitada a mais de crueldade: a divulgação pela internet. Os novos Adões, de rosto escondido, espalham-no pelo mundo, de forma a que todos, inclusive os apavorados familiares das vítimas, o presenciem.

Por isso, soou patético o discurso da nossa Presidente na abertura da Assembleia Geral da ONU, pregando um diálogo com tipos com os quais nem mesmo os muçulmanos conseguem conversar. Não deve ter sido redigido por ela mesma, pois sua história de vida e sua personalidade mostram que dialogar nunca foi exatamente o seu forte. É também lógico acreditar não ter sido um diplomata de carreira, pois eles têm uma exata noção das consequências futuras das posições tomadas pelo País. Provavelmente, por ter-se alinhado aos neo-degoladores, seu “ghost writer” (escritor fantasma) deve ter sido alguém que se alimenta do ódio, que espalha ódio e admite o terrorismo como forma contemporânea de “fazer justiça”. Ou, quem sabe, tenha sido escrito pelo próprio fantasma do velho Adão Latorre ou do seu arquirrival Cherengue (ou Xerengue), que aceitavam conversar, desde que antes pudessem dar “um trato na carótida do interlocutor”.

É tanta tragédia, que só nos resta dar vivas e loas ao velho Adão, que, por só gostar de maçã, inspirou John Lenon a pregar “faça amor, não faça guerra”. Lenon acabaria assassinado, e por um fã. Vá entender os humanos!

38 Respostas para “Adão ainda vive (clique)”

  1. Alfredo Cherem Filho Diz:

    Meu Caro General
    Parabéns pela sua escrita, retrata o terrível momento em que vivemos, quem nos representa está na contramão de nossas convicções.
    Um Forte Abraço
    Alfredo

  2. Robert Diz:

    Caro amigo Bonat,

    Certamente, também não foi escrito pelo apedeuta nonadáctilo.
    Contudo ficaria muito satisfeito se esta cena pudesse se repetir nos dias atuais e fazer uma degola vermelha. Entretanto fica a dúvida, ou melhor a certeza, que faltarão cabeças para tantas facas voluntárias.
    Forte abraço
    Robert

  3. Higino Diz:

    Prezado General…
    Bela reflexão…Parabéns, é o mínimo.
    Higino

  4. Jânio Diz:

    General, nesse o senhor se superou!

  5. Joaquim Rocha Diz:

    Prezado amigo Bonat
    Realmente, sua crônica é oportuna e nos induz à reflexão. O terrorismo procura impactar a opinião pública mundial, antes, através do atentado às torres gêmeas, depois, pelo desaparecimento do voo MH17(um boeing inteiro), agora, pela degola transmitida ao vivo, futuramente, não se sabe o que vem da criatividade insana dos terroristas. Infelizmente, sempre houve isso, Adão Latorre, Hitler, Roma, o extermínio dos aztecas e incas,o “paredon” de Fidel Castro, até o acidente aviatório que vitimou Eduardo Campos(e quase a Marina Silva foi também)que não está bem contado, são exemplos.
    É o meu breve comentário e reflexão provocada pela sua sempre oportuna crônica.
    Fraterno abraço do amigo
    Joaquim Rocha

  6. Luiz Osório Diz:

    Estimado amigo Bonat

    Mais um belo texto, que percorre acontecimentos históricos do final do século XIX, trazendo-os para o atual momento da vida brasileira, quando a “presidenta” defende grupos de facínoras que matam pelo método cruel da degola.
    O processo adotado na Revolução Federalista, ocorrida no Sul do Brasil, prosperou em terras nordestinas. Por aqui, nos anos 20 e 30 do século passado, um bandido pernambucano, Virgulino Ferreira da Silva, mais conhecido como Lampião, aterrorizou, com o seu bando de cangaceiros, às cidades do Nordeste, com sequestros, extorsões, estupros e assassinatos. Muitas dessas mortes ocorriam pela chamada sangria, cuja técnica desferia um certeiro golpe de punhal de lâmina longa na “clavícula esquerda (região popularmente conhecida por saboneteira), que atingia coração e pulmão e causava morte lenta e agonizante”.
    Depois de morto, Lampião passou a ser idolatrado por parcelas da gente simples nordestina, como alguém que roubava dos ricos para dar aos pobres. Não foi bem assim, como também não é no presente, quando um bando, novamente liderado por um pernambucano, enriquece à custa de ilusórias migalhas jogadas aos mais pobres e menos esclarecidos.
    Grande abraço. Osório

  7. Paulo Cesar de Castro Diz:

    Prezado Bonat,
    Oportuna e contundente, como de hábito.
    Cumprimentos e que nossos pescoços escapem à degola revanchista dos vendidos à “comandanta” do planalto.
    Abraço amigo,
    Gen Castro

  8. bonat Diz:

    Diariamente chegam más notícias do “Estado Islâmico” (EI ou ISIS). Seus jiadhistas avançam, levando de roldão todas as tropas que várias nações reúnem contra eles, incluindo a poderosa Força Aérea norte-americana e de parte da OTAN. Das áreas em que o ISIS já domina nos chegam fotos de reféns degolados e pior ainda, de assassinatos em massa de cristãos e de outros não muçulmanos, inclusive de crianças de colo.
    Por incrível que nos pareça, é inquestionável a atração que aquele grupo fanático tem exercido sobre jovens ocidentais de ambos os sexos, que descrentes do niilismo do meio em que vivem, anseiam por pertencer a um grupo coeso e convicto e as centenas, se apresentam para o combate como novos convertidos, prontos para o martírio.
    O crescimento do Estado Islâmico, que avança baseado em sua maligna fé é o maior perigo para o Ocidente. É fanatismo, sem dúvida, mas fanatismo é uma forma exacerbada de idealismo e as baionetas que são empunhadas com idealismos costumam vencer as empunhadas sem convicção. Sentimos com tristeza que um Ocidente descrente, homossexual e drogado dificilmente resistiria vantajosamente a agressão de um Islã decidido e que acredita no que faz, por mais desumana que possa ser sua crença. Acrescente-se o perigo da pressão demográfica; enquanto o índice de natalidade no Ocidente é de 1,6 filhos por casal, no mundo islâmico é de 8,1. Nesse caminho em 30 anos metade da população européia será islâmica e começará a impor a sua “sharia”, que inclui a eliminação física dos opositores.
    Esse tipo de inimigo não se consegue conter só com armas. É necessário mudança de vida. Será preciso que ensinemos a nossa religião aos nossos filhos, ou pelo menos os valores da nossa religião e da família. É indispensável o abandono do hedonismo e do acovardamento oficial. Teremos que criar orgulho de nossa civilização, pois sem isto não se forja os indispensáveis duros guerreiros que a defendam.
    No momento não é isto que vemos, mas ao contrário. Estamos sonhando o sonho errado. Já está na hora de despertar.
    GF

  9. Brugalli Diz:

    Caro amigo. Não há dúvida. A Revolução Federalista é uma nodoa indelével em nossa história.(Oremus). Aprendí, quando gurí, que o islamismo foi imposto goela abaixo na base “crê ou morre” e as cimitarras eram bem afiadas… Depois os franceses criaram a guilhotina e, não estou bem certo, os balaios…A degola, por certo é um pecado mortal que pode ser invocado como agravante de um crime bárbaro. Quanto à nossa “estadista-terrorista”, pode crer que o discurso não é da lavra dela que é incapaz de produzir sequer uma frase inteligível. Hoje mesmo saiu-se com “menas” ao invés de menos, querendo imitar o personagem do Chico Anysio…”menos, Batista, menos”…
    Fique tranquilo. Sua linguagem foi diplomática. Não sentí coceira na garganta..rsrsrsrsr.
    Um abraço do Brugalli.

  10. bonat Diz:

    Cada vez que um irmão nosso é martirizado naquelas terras por se recusarem a negar o Cristo, meu coração se enche de angústia. Uns morrendo pelo Cristo em terras islâmicas e outros se omitindo na Terra de Santa Cruz. Estejam onde estiverem, Bispos católicos, cuidai para que vosso silêncio não demonstre que vossa justiça nem de longe excede a dos escribas e fariseus, pois se assim for, jamais entrareis no Reino dos Céus (Mt 5:20). JGF

  11. Jaeme Gonçalves dos Santos Diz:

    Caríssimo General Bonat, mais um memorável deleite ao avivar na memória fatos históricos, com distinta e singular escrita! É a roda cíclica da humanidade, com tendência reflexa aos “experimentos” não aprovados, com resgate daquilo que foi banido! Aquilo que anteontem repudiou-se, ontem houve o “preparo”, para hoje, exigir que os sejam aceitos, e para amanhã, exigir que dele sejamos defensores! Hoje, até mesmo a roupa está fora de moda, sendo apenas, adereço…! Estamos na era dos “glúteos”, da escancarada, mas, não admitida, exploração sexual, submissão e escravagismo da sexualidade em detrimento dos neurônios e do pudor! “Pousar” em revista sem roupa, ou tirar a roupa em cenas de folhetins, ou praticar sexo em cenário televisivo, tornou-se uma “honra” para as escravas(os) indolentes deste modelo; e é um “espaço bastante disputado”, quanta (dis)puta, e quantos sem brio! “Novos tempos sodomizados”! O que se pode esperar…? O terreno está preparadíssimo! Ao fazer um retorno ao tempo, tem-se, dentre outros fatos históricos: Cruzadas, Vikings, Velho Oeste (Faroeste), Ameríndia, Jesuítas (Catequese), Escravidão, Bandeirantes (Colonizadores), “El Niño”, Cangaceiros, Gângsters (filantropos), Gangue, Quadrilha, Crime Organizado; … Barriga Verde…,”Lenço Encarnado” na Carótida”…! Negrinho do Pastoreio, o afilhado da Vigem Maria…! Estado-Poder…!…”Bomba Atômica”…! Tudo é cultura e aprendizado, por mais estapafúrdio que o seja! É a “mágica” do folclore do presente e do futuro! Então, que as fronteiras da ganância ou do domínio do Mundo estejam muito bem definidas no coração (cérebro) puro e prudente, na boa vontade, e na mente sã e hígida, de cada pessoa ou governante, para que nenhum lendário, místico e enigmático “J”, de “passagem” não mais seja motivo para morte ou impedimento de algo justo! Que a vida não seja objeto de passagem determinada pelo semelhante, mas, sim, que se cumpra o seu ciclo natural! Que a passagem para a vida esteja sempre aberta, porque, afinal, somos iguais e da mesma espécie, e ninguém poderá ter autoridade/poder sobre a vida/morte! Que façamos uma Grande Ceia, por por meio de uma Grande mesa redonda, com início no Oriente, passando pelo Ocidente, e com retorno ao ponto de início-Oriente, para que todos de mãos dadas possamos festejar a maior dádiva da terra, que é a vida feliz! Que os Adãos e os cherengues (faca ordinária) embainhem as suas facas e facões, e que a prudência seja um poderoso instrumento contra aquele que semeia o ódio e a morte! Festejamos a vida com sensatez! E assim, prezado General Bonat, com essas palavras, talvez com algo um pouco fora do contexto, premeditadamente, expresso minha total concordância com a vossa belíssima escrita! Parabéns! Continue a nos brindar com essas dádivas preciosas; e a nos “blindar” ao trazer a história real do passado, para a reflexão no pressente, como alerta e proteção da falsa, intolerante e confusa dialética.

  12. Luiz Carlos Soluchinsky Diz:

    É possível que quem tenha escrito o tal discurso tenha sido o seu patrão Lula. Não, ele não teria essa capacidade. Quanto a dialogar ela não precisa ir longe. Pode dialogar com o PCC, nas periferias das cidades ou em qualquer boca aqui mesmo no Brasil. Prezado General Bonat, como sempre nos passando conhecimentos muito interessantes. Abraço.

  13. amaury koschinski Diz:

    Parabéns amigo General. Infelizmente temos que concordar que a História se repete e sentir a falta de sensibilidade de políticos e mandatários que permitem e apoiam a barbárie.

  14. Daniel Pedro Diz:

    Caríssimo General Bonat,
    o que esperar desse governo com um passado desonesto e imoral!! Pra mim não é novidade, vou morrer e não vou ver tudo!! Forte abraço!

  15. EDMAR LUIZ KRISTOCHIK Diz:

    O que posso dizer, estou apavorado com esse atual governo, ou melhor, horrorizado com a baixaria que utilizam na propaganda eleitoral. Se pararmos para pensar até onde eles vão chegar, poderemos antever o retorno desse sanguinário Adão. Boa coisa não vai ocorrer no Brasil se a Dilma for reeleita…

  16. SALIM MUSSI Diz:

    Prezadíssimo General
    Suas crônicas como sempre nos transmite o momento histórico com precisão de um relógio suiço. E não posso ficar silente pois meus
    avôs e nós somos maronitas (católicos romanos do Libano) e nos ensinaram o que é ter um irmão nosso martirizado naquelas terras por se recusarem a negar o Cristo – o próprio padre Maron no Séc III, simbolo do catolicismo – o foi. Por tanto sempre houve e haverá mortos por Cristo em terras do Oriente Médio mas muito se omitem o que acontecem na Terra de Cristo mas a Igreja e seus membros sabe qual é sua missão.
    Salim Mussi

  17. bonat Diz:

    Muito bom o artigo, General.

    A fala da Dilma é mais um pérola da grande

    coleção do PT. E alguns (tantos!) ainda

    votarão nela! Tom

  18. Juan Koffler Diz:

    Dileto amigo Bonat,
    Extraí um excerto da minha tese de doutorado (“O homem: esse projeto mal-acabado” – 1976 – Universidad Complutense de Madrid) que bem comprova sua pertinente e oportuna exposição, neste seu certeiro artigo (como lhe é usual): “O sangue, alimento vital dos organismos que compõem as espécies, possui curiosamente outro atrativo já desde tempos pré-históricos: servir de ingrediente primário às elucubrações malignas ou religiosas do homem. O sangue exacerba a maldade humana, sua criatividade destrutiva e sua gula vingativa. Certas passagens históricas chegam a lhe atribuir a qualidade (paradoxal) de um elixir libidinoso” (p. 356).
    Claro que esta “qualidade” do sangue nada tem a ver com o ‘normal’ do ser humano – assim como o excessivo consumo de bebida alcoólica -, mas sim com sua ânsia eternamente inquieta de extrapolar os seus limites, não raro em direção aos mais recônditos e tenebrosos cantões da sua incompreensível alma.
    O evento em comento (as degolas dos extremistas islâmicos) serve de prova cabal ao supra-exposto sobre minha tese. Você bem sabe, caro amigo, que violência gera mais violência, é como jogar gasolina no fogo, e se constitui num processo típico de ‘moto perpétuo’: quanto mais atenção recebe, mais violento se torna. Afinal, “a propaganda é a alma do negócio”, já o diz o surrado chavão popular.
    Parabéns, uma vez mais, por seu precioso e propositado artigo, sempre alinhado com o interesse social, e caracterizado por aquele “toque” diferenciado que você tão bem sabe dar.
    Fraternal abraço.

  19. bonat Diz:

    Prezado amigo Bonat:
    Parabéns pelo seu artigo, sintetizando o que foi a “Revolução dos Bárbaros” ou “Da Degola”, com seus 10.000 mortos, a mais sangrenta da América Latina, depois da Revolução Mexicana, de Pancho Villa, Zapata, Juarez e outros. E veja, caríssimo Bonat, nessa revolta pugnavam em lados opostos dois valorosos personagens: Júlio de Castilhos – positivista republicano (chimango) e o parlamentarista Gaspar Silveira Martins (maragato): não houve qualquer viez econômico; era idealismo puro. Mas tudo se degenerou e aconteceram as degolas e os fuzilamentos sumários. E ainda dizem que o brasileiro é cordial. A figura facinorosa de Adão Latorre, e também a de outros, envergonha a nossa História…
    Excelente a sua comparação com os terroristas do EI, para os quais essa presidANTA propôs o diálogo. Nós, já bem vividos, já vimos esse filme.
    Outra vez, palmas para a sua matéria, em especial pela feliz comparação daquele período negro de nossa História, com as barbaridades perpetradas pelos criminosos da facção EI e pela lembrança da sugestão da Dilma. Pobre Brasil…
    De coração, o mais amigo dos abraços deste seu admirador, SN.

  20. renato balen Diz:

    Caro amigo!
    Muito oportuna a sua consideração. A nossa incomPeTenta presidenta, além de comungar com extremistas islâmicos ainda parabeniza a vitória na eleição da Bolívia – Evo Morales – um de nossos maiores provedores de armas contrabandeadas e das drogas que estão matando nossos jovens, também nosso grande “sócio” em refinarias.
    um abraço ao querido general do
    amigo renato balen – caxias do sul -rs

  21. Joaquim Cardoso da Silveira Filho Diz:

    Prezado Hamilton,
    O pronunciamento de Dilma Rousseff, condenando os ataques da coalizão internacional às forças do Estado Islâmico e propondo o diálogo com esses facínoras radicais, é momento dos mais lamentáveis da diplomacia brasileira. O disparate nos coloca em situação ridícula e cômica perante a comunidade internacional, excluídos desta, naturalmente, meia dúzia de países inexpressivos que se alinham à mesma asneira. Não há dúvida de que essa mulher já permaneceu demais no cargo.
    No mais, obrigado pela ilustração histórica, ainda que a evocação tenha sido de arrepiar. Parabéns!
    Abraços,

    Joaquim

  22. Margareth R. Bieberbach Diz:

    Muito bom Acadêmico Hamilton. Mereceu um compartilhamento no Face. Abraços

  23. Mario Rossi Corsetti Diz:

    Bom Dia Gen !
    Acredito que deva ter a mão dela no discurso, visto o assassinato do Sd Kozel…

  24. valderez archegas ferreira Diz:

    Bom dia Gal Hamilton!!! Como sempre, uma bela aula. Nos faz pensar a respeito de tudo que lemos, que assistimos, que ouvimos!!! Como escreveu um de seus amigos/fã : morreremos e não não ver tudo desse mundo!!!
    Abraços
    Valderez

  25. André A. Dambros Diz:

    Caríssimo chefe e amigo Bonat.
    Alguém já o disse mas torno a faze-lo. É mui importante sua brilhante ideia em trazer à tona esta realidade que tem se repetido mundo afora através dos tempos. Pois nossa previsão de futuro é observada por poucos e por isto deve ser divulgada e apregoada aos quatro candos do pais para que mais brasileiros meditem sobre esta triste ameaça que se nos apresenta.
    Uma grande matéria. Parabéns.
    André

  26. Nestor Jesus de Sant'Anna Diz:

    Excelentíssimo General Bonat,eterno COMANDANTE, meu amigo!
    Outro “dedo” certeiro na “ferida” purulenta que o petê e aliados abriram para se fartarem do nosso sangue. Por enquanto com os desmandos financeiros, geopolíticos e ideológicos,APÁTRIDAS POR CONVICÇÃO,ora ESCANCARADOS e ASSUMIDOS. “ELLES” agora partiram pro TUDO OU NADA, portanto TUDO VALE. O próprio lula alertou pro Brasil todo,que nós “não sabemos” o que eles serão capazes de fazer se a dilma perder a reeleição. A vermelhona(sempre de tayerzinho vemelho)é a porta-voz(felizmente tatibitati/claudicante) do Goebbels atual, chefe das Comunicações, por certo redator-chefe de suas insanas falas.Como a história se repete, estamos no pré-março de 1964, quando os bolcheviques badernavam via sindicatos, adulados e por fim ESTIMULADOS pelo então chefe da nação,ora também elevado á condição de mártir. À época eles, TAMBÉM, alimentavam a certeza que receberiam ajuda externa,e o tal Prestes afirmava que a vitória” estava por um PALITO,como diz a gíria aqui da Terra da Caridade e da Liberdade (Santos)Eles não “roncam” à toa e devem se sentir “calçados” por detrás, já que investiram pesado em Cuba e nos aliados e no momento certo contarão com suas intervenções. A Bolívia, por exemplo, já anda a comprar helicópteros.Seu destemido bastião cibernético e todos nós, patriotas, democratas, liberais, meritocratas, do bem, da ordem, da disciplina, do respeito às individualidades, à propriedade e direitos privados, temos que usar o seu exemplo e NESTE MOMENTO,travarmos a “batalha do dia”,ou seja,a difusão intemerata dos nossos princípios, na defesa da segurança e futuro das nossas famílias e descendentes. Jamais permitiremos passivamente que que ELES NOS DEGOLEM, COMO JÁ REALMENTE ALARDEIAM.
    Pela fala da presidenta ficou, mutatis mutantis, esse não tão velado RECADO PARA NÓS, BRASILEIROS QUE NÃO NOS ALINHAMOS À SUA IDEOLOGIA. Pois que,como sabemos, para o bom entendedor, um ponto basta e nós captamos sua subliminar advertência. Se ela nunca DIALOGOU,NÃO SERIA e JAMAIS SERÁ AGORA NESSE…
    O BRASIL E NOSSA FAMÍLIA ACIMA DE TODOS ELES.

  27. Afonso Pires Faria Diz:

    General,
    o crime em si já é bárbaro. Se feito de forma cruel, mas trágico ainda, se na atualidade fica mais difícil de se aceitar. Agora a aceitação destes atos, como fez a nossa “presidenta”. Não é digno de nenhuma aceitabilidade. Parabéns pegastes bem o gancho.
    Afonso Pires Faria

  28. bonat Diz:

    Caro amigo Gen Bonat.
    Tudo evolui, quer pro bem, quer pro mal, mas, tudo passa. A humanidade não consegue se harmonizar, consequentemente, as degolas continuarão e, o que é pior, os inocentes sempre acabam pagando a conta. Belo enfoque seu artigo. Abs, Zart.

  29. maria elisabeth nascimento Diz:

    Caro Hamilton:

    Triste constatações de barbáries com o aval de quem conduz nossa linda Nação!
    Abraços:

  30. renato balen Diz:

    Caro amigo!
    Agora descobriu-se que Cuba infiltrou militares no mais médicos. Qual o motivo? Espionagem? Revolução com tomada definitiva do poder pelo PT? Ontem ouvi o comentário de Alexandre Garcia falando sobre a afirmação do Stedille (MST) de que, caso Dilma não vencer a eleição, promoveria uma luta armada em nosso país. Cada vez me convenço mais de que por trás de tudo isto, inclusive com a abertura do país a senegaleses, ganeses, haitianos e outros vindos de paises conturbados com guerra civil, há uma motivação – de armarem esta gente e tomarem o poder à força. Não quero ser o arauto da desgraça mas ando meio desconfiado.
    um abraço do amigo
    renato balen

  31. ROSELENE FERREIRA Diz:

    OI BONAT!
    EM PRIMEIRO LUGAR PARABÉNS POR MAIS ESSA BELEZURA DE CRÔNICA. ESTA EXCELENTE.
    QUANTO AO QUE DIZ E FAZ ESSA PRESIDANTA…… MELHOR NÃO COMENTAR!!!!!!!
    ESPERO EM DEUS QUE ELA SE VÁ NOS PRÓXIMOS DIAS!!!!!!!
    BJS DA
    ROSELENE.
    P. S. SINTO A CONFUSÃO QUE DEU DE NÃO ESTAR P/ RECEBÊ-LOS.VAMOS VER COMO SE SAIRÁ O DANIEL.TOMARA QUE A CASA NÃO ESTEJA COM BICHOS…….

  32. Avelleda Diz:

    Mais um excelente texto, caro amigo.
    O paralelo entre o Adão tupiniquim e os malucos islâmicos é oportuno e contundente. As aberrações crescem de importância quando se constata que os nossos iletrados Adãos não tinham escrúpulo nenhum, e muito menos religião. Já os muçulmanos de hoje são muito mais cultos e religião, mesmo que louca, é o que lhes não falta. Às vezes penso que faltou uma Papa com mais força naquela época para patrocinar mais uma cruzada.
    Um abraço do amigo
    Adilson Avelleda

  33. GABRIEL CRUZ PIRES RIBEIRO Diz:

    Bonat,
    Parabéns pelo excelente artigo.
    Acredito que o discurso da PresidANTA foi escrito por um de nossos diplomatas afinados com o PT.
    Infelizmente, nossa atual política externa está arruinando tudo que foi construído em termos de neutralidade, não interferência em assuntos internos de outros países e não alinhamento a governos totalitários.
    Abs.
    Gabriel (029)

  34. Laura Vaz Diz:

    Caro general:
    Pela primeira vez fiquei sem palavras. Da ferocidade de Latorre, que imediatamente nos remete aos mesmos atos insanos dos radicais do outro lado do mundo, ao discurso da Presidente na Assembleia Geral da ONU. Será que ela, em algum momento, não se deu conta do absurdo de sua “pregação”? Lembra até aquela americana que acusou o Secretário de Defesa dos EEUU de ser intolerante com os fundamentalistas só porque a religião deles era diferente. A Presidente, que me desculpe, mas ela merecia uma resposta semelhante a que o Secretário de Defesa deu à tão compreensiva dona-de-casa americana.

    Grande abraço
    Laura

  35. anita zippin Diz:

    tema cruel, lucidamente desenvolvido pelo escritor, cronista e General Hamilton Bonat.
    com muito orgulho é um dos diretores da Academia de Letras José de Alencar e um dos mais atuantes cronistas da atualidade.
    loas ao escritor! Anita Zippin. Vice Presidente da Academia de Letras José de Alencar

  36. Daur Diz:

    parabéns amigo.
    Mensagem clara, brilhante e oportuna.
    Abrs.
    Daur

  37. Mario Gardano Diz:

    Querido Bonat, será que o Adão não ressucitaria para dar um trato na carótida da dita cuja?
    abraços
    Mario Gardano

  38. Roberto Diz:

    Meu amigo, Bonat, muito bom!
    Vamos ver, no domingo, qual a degola que vai ocorrer… A física ou a política!
    Um grande abraço. Roberto.

Deixe um Comentário