Iguaçu: foz, “falls” e papas (clique para ler)

No século XVII, o governo espanhol confiou à Companhia de Jesus a tarefa de transformar as aldeias indígenas em reduções. Assim, os jesuítas espalharam-nas pelo Paraguai, Argentina e sul do Brasil. Mais tarde, após demoradas negociações, as fronteiras entre os três países foram definidas, separando aqueles núcleos religiosos, o que viria a ser uma das causas de sangrenta guerra, a da Tríplice Aliança.

Por isso, quando o Tenente José Joaquim Firmino chegou com sua expedição a Foz do Iguaçu (1889) para fazer valer os direitos do Brasil, encontrou muitos paraguaios e argentinos. Brasileiros eram poucos. A Colônia Militar, criada pouco antes, marcaria o início da ocupação efetiva do lugar. O “IBGE” da época identificou uma população de 324 pessoas que viviam em treze casas e alguns ranchos.

A partir de então, outros nacionais sentiram-se encorajados a chegar. No início do século XX, a população já somava 2.000 pessoas, brasileiros em sua maioria. O vilarejo dispunha de uma hospedaria, quatro mercearias, um rústico quartel, estação telegráfica e engenhos de açúcar e cachaça.

Em 1912, o Ministério da Guerra, encerrada a sua missão, entregou o povoamento ao governo do Paraná. Em 1914, foi criado o município de Vila Iguaçu, mais tarde Foz do Iguaçu. Ele chegaria ao ano de 1970 com apenas 33.970 habitantes. A construção da Usina Hidrelétrica de Itaipu, então iniciada, causou forte impacto em toda a região. O contingente populacional passaria a ser de 136 mil pessoas em 1980. Hoje é de cerca de 260 mil.

Fazia muito tempo que Rafael não ia lá. Ficou admirado. A região havia evoluído e se transformado num polo turístico de primeiro mundo. Parece que Itaipu fez com que os iguaçuenses descobrissem sua própria grandeza e decidissem revelar ao mundo as belezas da sua cidade.

No final da visita às cataratas, já no ônibus, a palavra que Rafael mais ouviu, em vários idiomas, foi “extraordinário” e suas derivações: “magnífico, estupendo, deslumbrante”. Cá entre nós, não há como ficar insensível após percorrer o quilômetro e meio da trilha que nos conduz a poucos metros das quedas. O indescritível impacto causado pelas águas ao se lançarem de uma altura de 80 metros aumenta na medida em que a trilha se aproxima da garganta do diabo, onde se encontram as mais altas das 275 quedas. O som ensurdecedor e a força da natureza faz com que todos, sejam católicos, evangélicos, umbandistas, judeus, muçulmanos, ateus e à-toas, tenham consciência da sua pequenez e sintam a presença de Deus naquela Sua imponente obra.

Se hoje ela é compartilhada por brasileiros e argentinos, poderia ser apenas destes últimos, pois foi o espanhol Álvar Nuñez Cabeza de Vaca quem, em 1542, a descobriu. O primeiro brasileiro apareceu por lá, para morar, somente em 1881.

Atualmente, a convivência com os “hermanos” é tão harmoniosa, que sequer o futebol consegue perturbá-la. Mas, por falar em Deus, jesuítas e harmonia, vou relatar um fato que o Rafael me confidenciou. Há duas empresas, uma brasileira e outra argentina, que proporcionam um emocionante passeio de bote inflável que leva os turistas até debaixo das cataratas. Rafael topou a parada.

Durante o passeio, quando os barcos se cruzavam, independente da nacionalidade, os turistas saudavam-se alegremente (turistas estão sempre alegres). Pois bem. Rafael observou uma faixa num bote argentino que se aproximava. Só conseguiu ler quando ele estava perto: “Habemus Papam”. Euforia plenamente compreensível. Porém, mais do que argentino, Francisco I é jesuíta, como aqueles que aqui viveram nos anos 1600. Agora, ao que parece, eles estão de volta. Que seja bem-vindo Papa Francisco! Afinal, na Tríplice Fronteira todos são “hermanos”.

57 Respostas para “Iguaçu: foz, “falls” e papas (clique para ler)”

  1. André dambros Diz:

    Olá caro amigo e chefe Gen.Bonat.
    Uma bela lição de história Sul Americana. É sempre um prazer ler trabalhos como este, que não são tão comuns por aí, sobretudo vinda de um conhecido e amigo.
    Parabéns pela iniciativa. Enriquecí meus conhecimentos.
    Como bem disse,os Soldados de Cristo estão voltando à ativa.
    E já que Deus é brasileiro, o Papa pode ser Argentino.
    Um forte abraço
    André

  2. bonat Diz:

    “Excelente amigo, que continue prosperando a amizade entre os Hermanos!” Vera Lúcia

  3. bonat Diz:

    Muito bom, meu General.
    Forte abraço,
    Eduardo

  4. Afonso Pires Faria Diz:

    Parabéns general,
    Isto que eu chamo de altruísmo. Compartilhar os conhecimentos. Belo trabalho de pesquisa e informação. Um início de texto esclarecedor e um final emocionante.
    Afonso

  5. Heinz Diz:

    Meu caro Bonat,
    Fiquei muito interessado em ler seu comentário sobre o Papa Francisco. E dentro do muito de bobagem quem tem sido escrito ( coitado do Correio Brasiliense ), você me brindou com uma aula e acima de tudo com a caridade cristã. Para DEUS todos nós somos hermanos. Que o Papa Francisco tenha a orintação do Espirito Santo na condução do Povo de Deus.

  6. Paulo Cesar de Castro Diz:

    Estimado amigo, Bonat,

    Admirei e aprendi muito com sua crônica, uma aula agradável, sensível e solidamente fundamentada de História e Fraternidade cristã.

    Parabéns!

    Gen Castro

  7. EDMAR LUIZ KRISTOCHIK Diz:

    Acredito, deixando de lado a tradicional animosidade com os “hermanos”, que a escolha de Francisco I foi um grande passo da Igreja. Não vejo nenhum cardeal brasileiro a altura de sua santidade argentina.

  8. Anibal Martinez Diz:

    Meu Amigo general Bonat,
    bela história, justamente da Cidade em que eu nasci, minha querida
    Foz do Iguaçu.

    QUE SEJA BEM VINDO O PAPA FRANCISCO!

    Fraternal Abraço

    Anibal

  9. bonat Diz:

    Cumpadre,
    Parabens….
    abç
    guelfi

  10. Orlando Wlodkovski Diz:

    Excelente, Bonat! Além de curiosidades sobre o Papa, fomos brindados com um pouco da história, desconhecida pela maioria, de Foz do Iguaçu e região.

  11. bonat Diz:

    Valeu Bonazinho. Só agora tomei conhecimento. Go ahed.
    abraço
    Saldanha

  12. Renato Silva e Silva Diz:

    Maravilha de resgate da história que só confirma sermos todos irmãos e conduzidos pelas mãos determinadas dos
    jesuitas. Sempre os admirei desde que estudei em um colégio jesuita, aí mesmo em Curitiba, antes de nos encontrarmos no CMC. Parabéns por compartilhar tal texto. Abs

  13. AMANCIO Diz:

    Prezado amigo Gen Bonat,
    Parabéns pela excelente crônica a respeito da correlação entre a amizade brasileiro-argentina e a correspondente eleição do novo Papa. A par do seu contexto em si, valeu-nos como uma útil e agradável lição de História, com a revelação de dados usualmente não conhecidos pela maioria. Obrigado pela colaboração de acréscimo de conhecimentos à nossa cultura.
    Um grande e fraterno abraço.
    Amancio.

  14. Mandrup Larsen Diz:

    MEU CARO CHEFE E AMIGO GEN bONAT.
    Adorei mais esta vibrante aula, sempre muito elucidativa.
    Abraços e recomendações a família
    Mandrup

  15. roselene ferreira Diz:

    QUE ESPETACULAR AULA DE HISTÓRIA ,COM DETALHES TÃO MINUCIOSOS…
    ÉS UMA ENCICLOPÉDIA AMBULANTE…
    A UNIVERSIDADE ESTÁ PERDENDO UM GRANDE PROFESSOR.
    ESTE, HAVERÁ DE SER UM ÓTIMO PAPA. SER ARGENTINO,NÃO CONTA,DIANTE DA SIMPATIA E DA HUMILDADE QUE ELE TEM DEMONSTRADO.
    DEUS NÃO TEM PÁTRIA…
    PARABÉNS POR NOS BRINDAR COM ESTE BRILHANTE TEXTO.
    GRANDE ABRAÇO.
    ROSELENE

  16. Gustavo Rocha da Silva Diz:

    Prezado General Bonat:

    Obrigado por me ensinar um capítulo da História do Brasil que eu desconhecia por completo.

    Que o Papa Francisco, argentino e jesuíta, consiga apaziguar esta América do Sul, hoje tão conturbada.

  17. bonat Diz:

    Li e muito gostei, caro Bonat! Uma singela e agradabilíssima aula de História, mercê de seu excelente estilo literário.
    “Ex toto corde”, o mais amigo dos abraços deste seu admirador,
    Soriano

  18. GABRIEL CRUZ PIRES RIBEIRO Diz:

    Bonat,
    Parabéns pela excelente aula de história. Enfim, temos um Papa Jesuíta e da América Latina. Parabéns aos argentinos que foram premiados por essa escolha. Parte da imprensa, como sempre, está procurando denegrir o passado do Papa Francisco. Espero que agora este Papa consiga melhorar a igreja católica apostólica romana.
    Abs.
    Gabriel (029)

  19. José B. Figueiredo Diz:

    Estimado amigo,
    Parabéns pela síntese histórica e pelo liame com a escolha papal. Brilhante como sempre. É como já estão dizendo: se o papa é argentino, Deus é Brasileiro. Que ele seja abençoado em sua missão!

  20. valderez archegas ferreira Diz:

    Argentino amigo? temos que deixar o futebol de lado… meio difícil mas vamos tentar!!Tomara que o Papa jesuita, resolva oa problemas da igreja católica. COmo Deus é brasilerio, vamos torcer pelo argentino!!!
    Gostei de ter lido a história.
    Abraços
    Vlderez

  21. Roberto Diz:

    Bonat, que Deus interceda por nós, da América Latina, através do Papa Francisco I, impedindo essas aberrações políticas que os incultos, corruptos e aproveitadores teimam em praticar… Que Francisco abra os olhos e principalmente os corações dos citados, para a necessidade de ensino/cultura…
    Parabéns amigo. Prossiga na missão! Um grande abraço. Roberto.

  22. Joaquim Rocha Diz:

    Prezado amigo Bonat
    Sempre é bom reler sobre a cultura e o desenvolvimento que os jusuítas trouxeram para o sul do Brasil(Brasil Leste também), Argentina e Uruguai, onde há, até hoje, ruínas das suas missões. Como foram uma congregação conservadora e laboriosa, esperamos que o novo Pontífice faça o mesmo na banda ruim da Igreja.
    Abraços fraternos
    Joaquim Rocha

  23. Roseni Palmira Tabalipa Diz:

    Prezado General!!!
    Como não gostar das suas crônicas, inteligentes, educativas e com conteúdos, que nos leva ao âmago da cultura, do conhecimento. Suas narrativas, são sempre contagiantes…
    Um grande abraço e mais uma vez, parabéns…Roseni P. Tabalipa.

  24. Monteiro Gomes Diz:

    Muito bom, como sempre.Fiquei com vontade de passear por la. A gente tem muita coisa bonita no Brasil e nem sempre se lembra disso.

  25. Edvin Pio Rigotti Diz:

    Parabéns Gen Bonat, além de uma aula de história, expõe muito bem o assunto do momento. Valeu!

  26. HELMAR Diz:

    Meu grande amigo BONAT

    Excelente aula de Historia.

    Fraterno Abraço

    Helmar

  27. Maria Rita C. Machado Diz:

    Parabéns pela crônica, é muito bom poder compartilhar seus conhecimentos!!! Beijos!!

  28. Nestor Jesus de Sant'Anna Diz:

    General Bonat. Não cabe aqui aquele clássico “fala baixo, não espalha”, já que o meio é formal. Mas cá pra nós, essa sua escorreita e pertinente digressão sobre a NOSSA(recente) história pode levar esse “rubro” governo brasileiro a ter uma não inédita e talvez OPORTUNA idéia pan-chavista. Já que o homem pode virar “faraó”!!!Devolver a “Vila Iguaçu” aos hermanos com um ofício formal contendo pedido de desculpas e ainda uma boa indenização pecuniária,(Já que a viúva tanguista ficou “SEM PAR” e está completamente “DURA”.) Afinal,o lula “ENTREGOU” a planta da Petro pro Morales, que disse que o Acre foi trocado por um cavalo(levantou a lebre e deu a deixa) e BRINDOU unilateralmente o ex-presidente-conquistador-frei lugo com um aumento na compartilhada energia de Foz, RETRUCANDO que o BRASIL(NOSSO), não o dele, se locupletava vilmente contra os interesses dos hermanos paraguayos. O major médico Dr. Alfredo d’Escragnolle Taunay o nossoVisconde de Taunay deve ter revirado seus ossos no túmulo.

  29. Ailson Oliveira Colossi Diz:

    Grande General veja quantas respostas às suas brilhantes cronicas como claro esta aula de historia mas o que eu quero evidenciar é a sua posição de harmonia entre os dois povos de Brasileiros e Argentinos é burrice alimentarem, como muitos fazem,que não gostamos deles e eles não gostam de nos, não é verdade temos que ter uma grande aproximação pois somos hermanos.Abração Continue Sempre Boa Pascoa

  30. Jose Vilmar Becker Diz:

    Estimado General Bonat, quando comandei o 3º BPM, em Pato Branco, comentavam a respeito das investidas dos hermanos sobre nossos limites, onde segundo consta, existem marcos de concreto embaixo das pontes da região, indicando “República Argentina”.Nomeou-se, à epoca, como mediador do conflito,o Presidente Roosevelt, o qual reconheceu que os limites discutidos pertenceriam ao governo brasileiro. Temos no sudoeste o município de Clevelândia, nome escolhido para homenagear o ilustre mediador. Parabéns, mais uma vez,pelo brilhante “contenido”. Um forte abraço. Cel Vilmar.

  31. bonat Diz:

    Obrigado por nos proporcionar o prazer de ler este excelente texto.
    Abcs.
    Romeo

  32. Mario Gardano Diz:

    Parabens, Papa Francisco, Parabens amigo Bonat.
    Mario Gardano

  33. Lúcia Rivoredo Diz:

    Gostei muito do resumo histórico e do enfoque cristão sobre as relações entre brasileiros e argentinos.
    Apesar das sandices cometidas pela nossa diplomacia e pelos pronunciamentos e intenções de governantes caudilhescos, somos todos seres humanos, lutando para dar dignidade às nossas famílias para que cumpramos nossa tarefa de encaminharmos para Deus nossos descendentes.
    Somos todos filhos do Pai Celestial com nossas qualidades, nossas dificuldades a superar, nossas dores e alegrias.
    Apesar de não ser católica, faço votos que Francisco leve, com a candura de seu homônimo santo, seu rebanho para o aprisco, como na Parábola do Bom Pastor.
    Um fraternal abraço.

  34. Carlos Roberto do Nascimento Diz:

    Caro Gal. Bonat,

    Obigado pela liçâo inédita de história do Brasil. Os hermanos podem ter Prémio Nobel, Maradona, Messi e o papa, mas que Deus é brasileiro, isso é!
    Forte Abraço
    Carlos Roberto do Nascimento

  35. Reges F. M. Da Cunha Diz:

    Prezado Gen Hamilton!
    Como esta o nosso Ilustre escritor? Saúde é que interessa…
    Gen Bonat, uma nova e Bela Lição Cultural. Dado precisos e a História viva. Sou de São Borja e conheço bem a região que foi habitada pelos Jesuítas. As Ruínas de São Miguel….
    Sua crônica de uma verdade e informações que só um pessoa Culta e Informada pode nos passar.
    Esperamos que a simplicidade e as palavras sábio do Papa Francisco , acordem a Juventudade que perdeu valores familiares , simples.
    Fraternal abraço
    Reges Francisco Moraes da Cunha
    Blumenau SC

  36. bonat Diz:

    Gostei da frase e do trocadilho, Tio! O texto ficou ótimo!
    “ateus e à-toas, tenham consciência da sua pequenez e sintam a presença de Deus naquela Sua imponente obra.”
    Lalá

  37. ALFREDO CHEREM FILHO Diz:

    Estimado General
    Exelente sua crônica, tenho a certeza que a sabedoria dos experientes sacerdotes escolheu o melhor independente de sua nacionalidade, mas falta um pouco de humildade aos hermanos, para aborver tal escolha.
    Obrigado pelo envio.
    Um Grande Abraço
    Alfredo 17.03.13

  38. Sd 630 Mendes 5ºGAC-AP/3ªBO (1972) Diz:

    Prezado Gal. Bonat, parabéns pela narrativa histórica.
    Grande abraço.
    Mendes

  39. Antônio Nacif Daur Diz:

    Bonat,
    excelente trabalho. Estamos aguardando o lançamento de seu próximo livro.
    Felicidades

  40. Carlos Abilhoa Diz:

    Dileto Amigo Bonat

    Parabéns pelo sempre e bom comentário,ler seus trabalhos repletos de sabedorias nos traz enormes conhecimentos.
    PS. Tudo bem o Papa ser Argentino, mas o Messi podia ser brasileiro e jogar no glorioso PARANÁ CLUBE.
    Fraternal Abraço

    Abilhoa.’.

  41. Carlos Gama Diz:

    Meu caro amigo e companheiro de armas (papel, caneta ou teclados), General Bonat. O posto e o mérito o acompanham até nas crônicas que temos o privilégio de ler.
    Agradeço imensamente pela aula de história (como foi aquela sobre o Contestado), pela magnífica viagem pelas Cataratas do Iguaçu (ainda inéditas para mim) e pela análise sutil e inteligente sobre a harmonia entre os humanos (hermanos) e que não deveria se restringir à tríplice fronteira, fazendo de cada homem um alegre turista em viagem temporária e proveitosa pelo Planeta Terra.
    Receba, acompanhando estes comentários, o meu fraterno abraço.

  42. Luiz Osório Marinho Silva Diz:

    Estimado amigo Bonat

    Suas crônicas, com textos concisos, mas sempre precisos, são verdadeiras aulas.
    No momento atual da vida de vários países desta América do Sul, quando a política partidária prega o ódio entre as classes sociais, com o objetivo da permanência no poder, podem os verdadeiros religiosos despertar o sentimento de união e de amor ao próximo.
    Temos a certeza de que o Francisco, de Buenos Aires, inspirado nos exemplos de Francisco, de Assis, nos tornará a todos mais “hermanos”.
    Fraterno abraço. Osório

  43. bonat Diz:

    Prezado Hamilton,
    Sempre muito bom ler sobre nossa tão pouco conhecida história, e seu ótimo texto aproveita o momento da chegada de um papa argentino para evocar um passado que nos aproxima dos “hermanos”.
    A propósito, considerei o novo papa carismático e chego a desconfiar que o Espírito Santo ajudou a elegê-lo.
    Abraços,
    Joaquim

  44. Salgueiro Diz:

    Bonat

    Mais uma vez parabéns pelo texto e pelas informções.
    Que o “Francisco” cumpra a sua missão.
    Os jesuítas são bons tocadores de obras, inteligentes, cultos e muito dispostos. Que nenhum Pombal apareça para atrapalhar.
    Nós, todos os hermanos e a nossa igreja precisamos disso.
    Que Deus ilumine e ampare o novo papa.
    Abs
    Salgueiro

  45. Nina Maria M. carpentieri Diz:

    Parabéns, bela crônica, primo! Como muitos já disseram, uma verdadeira aula de hitória. Gostei do papa Francisco, que o Espirito Santo o inspire! Abraço forte!

  46. Luiz Cláudio Mehl Diz:

    Caro Hamilton,
    Foi um privilégio compartilhar com vocês o passeio por Foz do Iguaçu e adjacências( que os hermanos e paraguaios não leiam). E agora pela leitura da história tão bem contada.

  47. bonat Diz:

    Ao amigo Bonat
    Brilhante e grato por aumentar o meu conhecimento da história do Brasil.
    Um abraço
    Renato

  48. bonat Diz:

    Prezado amigo Gen Bonat.
    Esperamos que o Papa Francisco consiga aumentar a união das pessoas do mundo todo, engrandecendo a fé, a tolerância e, sobretudo a solidariedade. Seu artigo nos deu uma bela aula de história. Cumprimentos e, grande abraço do Zartão.

  49. Brugalli Diz:

    Caro amigo. De crônica em crônica, ou melhor, de aula em aula, vamos amealhando conhecimentos e enriquecendo nossa cultura. É isso que queremos e é disso que precisamos. Parabéns aos hermanos que podem se vangloriar de dar ao mundo um PAPA, sigla de Pedro Apóstolo Príncipe dos Apóstolos. Não peço a bênçao de Francisco, antes o abençoo, respondendo ao que ele com insistência vem pedindo e, no momento de sua aparição na sacada, antes de nos abençoar, baixou a cabeça e pediu que, em silêncio,fizéssemos uma oração por ele.Aquele humilde gesto vale por uma Encíclica. Um forte e cordial abraço do
    Brugalli.

  50. durval santos Diz:

    Meu Caro Amigo General Bonat

    A peculariedade e facilidade com que vc “brinca ” com as palavras, fez dessa cronica uma grande aula de Historia e uma enorme homenagem ao nosso Papa Francisco I , importantissimo hermano . Segundo a manchete do Clarin “o padre mais importante do mundo e um dos melhores da Argentina ” abcs

  51. bonat Diz:

    Olá Hamilton!!!
    Ótima matéria…
    Tenha uma abençoada semana,
    Enorme abraço
    Marcio.

  52. Laura Vaz Diz:

    Caro general:
    Desde a eleição do novo Papa espero, com muita curiosidade, sua crônica sobre o assunto. Pronto! Ela chegou, tão cheia de conhecimentos e deliciosa de se ler… como todas as outras.
    Um grande abraço
    Laura

  53. João Carlos Bonat Diz:

    Habemus “cronica”,tava na cara que teria.
    Impressionante como se mergulha na ambientação de seus apontamentos pricipalmente ligados a fatos históricos.Muito obrigado,parabéns e forte abraço.

  54. Betty Diz:

    Muito boa e oportuna.
    Abraços

  55. bonat Diz:

    bom amigo bonat
    foi longe seu conhecimento. parabéns!
    gostei do seu texto e das palavras da PRESIDENTE DILMA, ao ser abordada por um jornalista argentino de má fé:
    “O Papa é argentino. … Mas Deus é Brasileiro”, disse ela. e encerrou o diálogo com a imprensa.
    esta é a presença de espírito, tão ativada em seus textos.
    abs
    anita

  56. bonat Diz:

    Compadre , gostei mt. da sua Cronica , gostei tb. de aprender este lado da historia . Bjos

  57. Nathalie Diz:

    Olá, estou fazendo um trabalho sobre Foz do Iguaçu, e achei as trÊs fotos tão boas, são de que época? qual ano? teria como me envia-las?

Deixe um Comentário