De Bárbara para Maria (clique aqui)

Querida Maria. Ainda no domingo, 27, assim que chegaram as primeiras notícias sobre a tragédia que se abateu sobre a tua cidade, Paulo convocou-nos para uma reunião. Quase todos os colegas, santos e santas que dão nome a várias cidades do estado de São Paulo, compareceram. O temor de Paulo era que colocassem a culpa em ti, pois, como bem sabes, existe uma forte campanha no Brasil para jogar no lixo tudo o que se refere à nossa igreja. Havia o perigo de te acusarem de não estar zelando pelos teus fiéis.

Aberta a palavra, o primeiro a se pronunciar foi André. Ele recordou do aperto que passou quando, em 2002, assassinaram o prefeito do seu município. Ele disse não entender o porquê de o crime ser mantido sob uma cortina de fumaça até hoje. Mas, o que ele destacou como semelhante ao caso da tua cidade foi a rápida mobilização das lideranças do partido que, na época, tinha ótimas perspectivas de chegar ao poder, como chegou. A morte do prefeito poderia definir o rumo das eleições, que estavam na reta final. Transformaram seu caixão em palanque, com ampla difusão pela mídia. André lamentou que nem a chamada imprensa investigativa tenha se preocupado em descobrir o que realmente aconteceu.

Agora, são mais de duzentos e trinta caixões, isto é, duzentos e trinta palanques. Além de lhes dar muita visibilidade, os líderes, ao acorrerem para a tua cidade, segundo André, dão a impressão de estar tentando proteger alguém. Mas é preciso dar um desconto, pois o André, desde 2002, anda traumatizado.

Ao término da reunião, concluímos que não te acusarão de negligência, o que seria uma baita injustiça. Sabemos o quanto és zelosa. Decidiram que caberia a mim, por ser a padroeira dos bombeiros, transmitir-te o sentimento de todos e, em consequência, enviar esta mensagem. Nem preciso dizer o quanto lamentamos a tragédia que enlutou centenas de famílias. Achei melhor fazê-lo de irmã para irmã, sem usar o título que nos diferencia dos demais humanos que já desencarnaram. Assim, posso abrir a ti, que és o Coração do Rio Grande, o meu santo coração.

A verdade é que, de algum tempo para cá, têm sido criadas muitas leis com o intuito de serem dribladas, seja por se contradizerem e, portanto, se autorrevogarem, seja por não preverem adequada estrutura para fiscalizar o seu cumprimento. Parece que foi isso que aconteceu por aí.

De qualquer forma, estão tentando imputar as responsabilidades. No início, alguns repórteres tentaram direcioná-las para os seguranças da Kiss. Parece que não deu certo. Seria uma solução simplista demais, que protegeria os verdadeiros culpados, capazes de pagar excelentes advogados.

Recomendamos que tomes cuidado com as pirotecnias que, iniciadas pela banda no interior da boate, estão tendo sequência por políticos ávidos por microfones e holofotes. Lembres de que, para eles, tudo pode se transformar em palanque, verdadeiro altar de oferendas, do qual acenam com seus milagres.

Sempre que puder, aproveites para divulgar alguns dos mandamentos básicos que andam esquecidos nesta Terra de Santa Cruz: honrar pai e mãe; não matar; não roubar; e não levantar falso testemunho.

PS: aguente firme, pois o carnaval está chegando e é para ele que logo estarão voltados os holofotes. Depois, virão outras pirotecnias – a Copa do Mundo, as eleições – e o passado ficará no passado.

34 Respostas para “De Bárbara para Maria (clique aqui)”

  1. Edu C. Antunes Diz:

    Amigo Bonat

    Infelizmente quando a ganância, a irresponsabilidade e o descaso com a vida alheia se juntam em prol de uma espúria intenção política e/ou financeira, sem que sejam anulados por uma reação inversa da mesma intensidade, só podemos ter a perspectiva de que uma tragédia poderá acontecer a qualquer momento. Como aconteceu.
    A pergunta que fica é: “Até quando inocentes pagarão?”

    Abç.

    Edu

  2. Israel Blajberg Diz:

    Bravo Artilheiro BONAT,

    refletir e partilhar as reflexoes é o minimo que podemos fazer por aqueles inocentes, numa corrente que possa impedir
    futuros descalabros do mesmo genero

    que as almas daqueles jovens inocentes sigam o caminho da Vida Eterna.

  3. Figueiredo Diz:

    Brilhante e inteligente comentário. Parabéns! Cá, no Rio, vamos ficar orando para que nada ocorra ao Elevado do Joá, até por que Joá não é nenhum santo e está deixando a ferrugem corroer as estruturas daquela ligação entre São Conrado e a Barra da Tijuca… Meus cumprimentos pela inspirada criatividade!

  4. bonat Diz:

    Excelente! Parabéns! Balbi

  5. Afonso Pires Faria Diz:

    Brilhante, general este o conceito que merece o seu texto. A menção ao André, tem um enorme significado. Poderia também ter falado o Paulo, que em sua cidade morreram 199 em uma queda de avião e que lhe foi prometido um novo aeroporto, já a 5 anos, e, nada. Está mesmo na hora de mexermos nas feridas destes que hoje ocupam o poder.
    Afonso Pires Faria
    Caxias do Sul-RS

  6. Gustavo Rocha da Silva Diz:

    Uma alegoria verdadeira em cada palavra. Já começaram as pirotecnias de praxe, políticos se mobilizam, mas a dor dos que perderam os seus ninguém pode reparar. Ontem fui à Missa de Sétimo Dia do Tenente Leonardo Machado de Lacerda, cujos pais são meus amigos e, tanto na ida como na volta, trios elétricos e foliões enchiam as ruas, numa antecipação do que vai ser este Carnaval.

  7. Juan I. Koffler Anazco Diz:

    Dileto amigo Bonat:
    Sua criatividade se superou, até para ilustrar um fato tão trágico quanto o de Santa Maria. Infelizmente, você tem toda razão: se faz necessário que morram centenas de pessoas para que os responsáveis saiam das suas grotescas tocas e usem, levianamente, o sofrimento alheio para se promoverem em suas sádicas campanhas de perpetuação.
    Em comentários no CONJUR, chamei a atenção para as fatalidades com o A320 da TAM em Congonhas e com o episódio anterior (Fokker 100) também nesse aeródromo, ambos ceifando a vida centenas de pessoas e mantendo-se no limbo dos “assuntos não resolvidos”. A incompetência, o descaso e a irresponsabilidade, meu querido amigo, não servem de palanque político, mas de cadafalso onde seus perpetradores indiretos deveriam ceder ao peso dos seus próprios e enfastiados corpos, saindo desta para o mais horrendo inferno que lhes é de merecimento.
    Lembre: um dia, eles pagarão, com juros multiplicados. Não perdem por esperar. Todo porco tem seu dia de São Martin; chegará o deles, certamente que mais cedo do que esperam…
    Forte e fraternal abraço!

  8. roselene ferreira Diz:

    SEM PALAVRAS ,BONAT. É UMA TRAGÉDIA. MUITA DOR NESTAS FAMÍLIAS.
    NOSSO GOVERNO É UMA VERGONHA….
    SEM COMENTÁRIOS ,NESTA HORA…
    BJS
    ROSELENE

  9. Sd 630 Mendes 5ºGAC-AP/3ªBO (1972) Diz:

    Parabéns, amigo Bonat, pelo modo original e singular de comentar o doloroso evento ocorrido em Santa Maria/RS. Gostei demais.
    Abraço
    Sd 630 Mendes 5ºGAC-AP/3ªBO (1972)

  10. ALFREDO CHEREM FILHO Diz:

    Meu Caro General
    Triste fim tiveram estes jovens em início de vida, sem ao menos terem a chance de entender o que estava ocorrendo, pais que ficam com a cicatriz em seus corações, e um Brasil que fica com esta marca de incompetência e corrupção tão bem descrita em suas belas palavras, agradeço o envio.
    Um Grande Abraço
    Alfredo 03.02.13

  11. bonat Diz:

    Obrigado, amigo!

    Sta. Maria é minha cidade natal.

    Meu primo Ildo lá perdeu uma filha no incêndio.

    Vinte e três anos…

  12. Gabriel (Oliveira) Diz:

    CARO COMANDANTE:

    HÁ DE CHEGAR O DIA EM QUE ESTE POVO IMBECIL ACORDE E COMECE A DAR A ESTE PULHAS O TRATAMENTO QUE ELES MERECEM. MAS COMO É UM POVO SEM CULTURA, SEM EDUCAÇÃO, E SEM CONHECIMENTO MÍNIMO, SÓ MESMO NO MOMENTO EM QUE ALGUÉM COM “AQUILO ROXO”, COMO DIRIA AQUELE OUTRO LADRÃO, TOMAR A DIANTEIRA E CONSEGUIR FAZER COM QUE ESSE POVO MARCADO EH POVO FELIZ O SIGA, É QUE ALGUMA COISA PODERÁ ACONTECER. TENHO POUCAS ESPERANÇAS. PARABÉNS DE NOVO PELA COLUNA.

    GABRIEL (OLIVEIRA 643)

  13. Nina Maria M. Carpentieri Diz:

    Esta imensa tragédia foi um bom motivo para o poder vigente se auto promover, como sempre. Perdas irreparáveis e lamentáveis. Texto ótimo como sempre!

  14. josé rota Diz:

    … Santa MARIA, acolhei nossas súplicas …

  15. Nestor Jesus de Sant'Anna Diz:

    Prezado General Bonat. Perfeito o silogismo entre as duas Marias. Sua implícita conclusão de que o que está ruim poderá ficar pior, em decorrência dessa massa amorfa e acomodada, é que nos tira o ar.
    Saudações Artilheiras.

  16. Aurivio Souza Diz:

    Bom dia Excelência

    Sua crônica é irrefutável , como sempre seus textos representam a dura realidade que infelizmente muitos de nós brasileiros nào conseguimos ver.Os mesmos demagogos que hoje buscam culpados são aqueles que a margem da lei , deixaram de fiscalizar e fazê-la cumprir , pois sabemos que a segurança eficiente e eficaz é a corretiva , agora medidas “severas ” serão tomadas , mas as custas da vida de muitos jovens que nada mais buscavam que uma simples noite de diversão junto a amigos.
    Parábens mais uma vez pela coragem de suas palavras, em especial á “Santo” André.

    Forte abraço deste Infante , seu admirador

  17. Jorge Colpo Diz:

    Caro amigo e irmão.
    Nossa mãe Bárbara, alinhada com a Maria, vão contribuir para que essa tragédia que você, peculiarmente, narra, seja um grande divisor de águas neste País onde, se existe lei, não se cumpre e nem se fiscaliza. Onde todos têm alguma culpa – inclusive aqueles que frequentam lugares desassistidos de segurança. Nós, a sociedade e, principalemnete os frequentadores, deveríamos assumir o papel das autoridade…. denunciar…. proibir o funcionamento e, se necessário for, fechá-las.
    Não apenas as boates e casas noturnas, mas todo e qualuer estabelecimento público ou privado, onde as pessoas deveriam ser o maior patrimônio.
    Seu blog está no meu site: http://www.familiamilitar.com.br
    Obrigado por você escrever para todos nós.

  18. JOAQUIM rOCHA Diz:

    Prezado Bonat
    Parabéns pela sua sensibilidade ao abordar esse assunto.
    Infelizmente, lá houve a concorrencia de tres fatores: a falta de uma segunda porta de emergência, como saída alternativa, a superlotação da boate e o revestimento de material inflamável, além de outros pequenos fatos que concorreram para a tragédia.
    E a transformação da tragédia em polêmica partidária, na qual o Governador atribui a culpa no município, e vice-versa.
    Abraços fraternos
    Joaquim Rocha

  19. EDMAR LUIZ KRISTOCHIK Diz:

    Recentemente, assisti estarrecido, a divulgação pelo Ministério Público, dos seis possíveis culpados pelo desmoronamento dos dois edifícios no Rio de Janeiro. Na minha concepção, seriam somente os proprietários e os responsáveis pelas obras, no caso, o Engenheiro Civil, a Prefeitura e o CREA-RJ que autorizaram tal indecência. A surpresa veio por incluírem nesse rol. pedreiros e serventes, como se esse pessoal tivesse poder de decisão ou capacidade técnica para avaliar um possível abalo estrutural.
    Agora em Santa Maria, o primeiro responsável é a Banda que usou de pirotecnia num lugar fechado (uma verdadeira palhaçada), os segundos são os proprietários pelo uso inadequado de um local sem condições de escape e com isolamento acústico inadequado (inclusive, funcionavam sem Álvara). Mas, a bem da verdade, os reais responsáveis seriam o Corpo de Bombeiro e a Prefeitura, pois se havia uma Álvara vencido, houve uma concessão para que essa Boate funcionasse anteriormente e ela não oferecia a segurança de escape necessárias para isso. Tem que apurar quem inspecionou e concedeu algum Álvara, anteriormente, pois essas pessoas são as reais responsáveis pelo ocorrido. Chega de incompetência, como podem desvirtuar a responsabilidade pelo acidente no Rio de Janeiro, lá como em Santa Maria, os proprietários (inicialmente) deveriam aguardar os resultados das apurações presos num presídio. Providências dessa natureza impediriam a ocorrência de novas catástrofes.

  20. Brugalli Diz:

    “Santa Mãe Maria rogai por nós que recorremos a vós”. Não permitais que surja um Mateus, como no caso do André.
    Minha sensibilidade verteu lágrimas ao ler sua crônica assim como assistindo mães,pais,irmãos,namorados(as) que choravam seus entes queridos, nos noticiários televisivos. É preciso cobrar, responsabilizar, exigir. Não como agora estão fazendo, para “inglês ver”. Não é remediando, é prevenindo que as tragédias podem ser evitadas. Meu renovado abraço fraterno.
    Brugalli.

  21. Betty Diz:

    Muito original e procedente o que você escreveu.
    Afora as culpas, sejam elas de quem forem,minha prece para estes jovens.
    Abraços

  22. Amaury Koschinski Diz:

    Parabéns pela cronica! Infelizmente, além da grande e elutada tragedia, assistimos várias autoridades fazerem da mesma forma que sempre fizeram e continuam fazendo, permitindo a irresponsabilidade e o desrespeito continuem assdolar o país.

  23. bonat Diz:

    Caro amigo Gen Bonat.
    Creio que todos os que assistiram a tragédia e suas consequências se entristeceram. Esperamos que essas casa noturnas e demais concentrações de pessoas tomem jeito para evitar acontecimentos desastrojos como esse. E, até quando nossos políticos deixarão de lado os oportunismos ? Forte abraço do Zartão.

  24. Carlos Roberto do Nascimento Diz:

    Caro Gal. Bonat
    O que mais me entristece é centrarem o objetivo das investigações no fato da boate ter ou não um alvará, como se a existência desse papel pudesse resgatar as vidas perdidas em idade tão tenra.Por outro lado, acho que Bernardo também deve andar indignado com um ilustre morador de sua cidade, que, normalmente, nunca sabe ou sabia de nada, mas que vai à terra do seu colega Paulo ditar regras para o alcaide.
    Forte abraço
    Carlos

  25. Salomão Diz:

    CARO GENERAL BONAT
    REALMENTE A VOSSA CRIATIVIDADE ESTA MUITO ALÉM DA CAPACIDADE DE ENTENDIMENTO DAQUELES QUE ESTÃO HOJE NO PODER,
    CONSIDERANDO QUE O INTELECTO DELES É QUASE ZERO MAS A GANANCIA PELO VIL META É MAIOR QUE A CONSCIÊNCIA DELES
    E PELO RESPEITO AO SER HUMANO.
    COMO DIZIA AQUELE OPERÁRIO ” TUDO É MARACUTAIA”
    Cesar Salomão

  26. Carlos Gama Diz:

    Li com imensa tristeza esta sua crônica, meu caro Bonat.
    As verdades e algumas de nossas realidades doem no coração da gente e doem mais, porque sabemos que fatos como este acabam apagados, esquecidos e passíveis de se repetirem sem muito espaço de tempo entre eles.
    Como é triste a nossa realidade!
    Como são tristes as verdades!

  27. GABRIEL CRUZ PIRES RIBEIRO Diz:

    Bonat,
    Excelente a comparação que fez neste artigo, porque até as tragédias são aproveitadas pelos políticos inescrupulosos.
    Os comentários feitos pelos seus leitores também foram precisos.
    Entretanto, gostaria de comentar que infelizmente os próprios frequentadores desta boate poderiam ter evitado essa tragédia se tivessem denunciado que ela não tinha a menor segurança para funcionar. Não é o fato de o Alvará estar em dia que daria essa segurança, pois como estamos percebendo a própria legislação é ineficiente e mesmo se fosse cumprida rigorosamente, essa tragédia não teria sido evitada. Repare que, talvez, se o primeiro extintor de incêndio tivesse funcionado o princípio de incêndio teria sido apagado. Se o integrante da banda não tivesse economizado uns poucos reais e comprado um artífico pirotécnico para uso em ambiente fechado, nada disso teria acontecido. Se os proprietários não tivessem economizado na aquisição e instalação de material para melhorar a acústica, não teria havido a queima de gases tóxicos. E por aí vai e teríamos outros “SE”, mas ressalto que provavelmente há muito tempo essa boate vinha funcionando com excesso de lotação e ninguém nunca havia denunciado nada. Lamentável que a morte de tantos jovens tivesse que acontecer para desencadear uma séria de “fiscalizações” em casas noturnas pelo país todo.Assistimos agora pela televisão que clientes ficaram revoltados com o fechamento de estabelecimentos sem o alvará. Em breve, também vão esquecer essa tragédia e os empresários gananciosos continuarão a “encher” seus empreendimentos, sem pensar prioritariamente na segurança dos frequentadores, continuando a se preocuparem somente em evitar que saiam sem pagar a comanda, instalando “currais” na saída.
    Abs.
    Gabriel (029)

  28. Roseni Palmira Tabalipa Diz:

    Prezado General:
    Como todas as demais, sua crônica tocou o fundo na ferida dos irresponsáveis. Infelizmente, assim caminha nossa sociedade, juntamente da nossa política brasileira. Nossos governantes andam de mâos dadas com as tragédias e irresponsabilidades. Melhor nem falar mais… Coitados dos pais que não pediram esse grande sofrimento. E como sempre, sua crônica e inimitável e tocante…Grande abraço.

  29. bonat Diz:

    Prezado Hamilton,
    Oportuníssima crônica!
    Lamentável, de fato, a exploração da tragédia pelos oportunistas da política. E criminosa a omissão dos que deveriam cuidar da segurança dos cidadãos. Terrível é que as tragédias são, para nós brasileiros, como carne dura: mastiga-se, mastiga-se… e se acaba engolindo. Na próxima garfada, repetimos o processo. Lembremos as enchentes no estado do Rio. Passa o tempo, some a verba, nada ou quase nada é realizado para prevenir os desastres e ninguém responde por isso.
    Haverá de mudar, um dia. Nós, que cá estamos, não veremos o Brasil que tanto queremos, mas isso não impede que deixemos nossa contribuição à construção da consciência cívica, como você o faz com textos como o de agora, de contundente crítica aos homens e às instituições.
    Parabéns!
    Forte abraço,
    Joaquim

  30. diva malucelli Diz:

    Muito lindo seu enfoque…e muito verdadeiras suas palavras…abs.Diva

  31. Laura Vaz Diz:

    Caro general:
    Faço minhas as palavras de Diva Malucelli.Um texto espetacular!
    Grande abraço.
    Laura

  32. Jose Jorge Díaz Diz:

    Prezado e admirado Hamilton.
    (Como sempre, peço indulgência com o meu português !)Com a sinceridade que como amigo mereces, comparto com a Diva o criativo do teu enfoque…porem, me preocupa o fato de não teres ressaltado que coisas desta gravidade acontecem-embora sem exclusividade – na nossa América Latina (Buenos Aires, México,São Paulo, Santa María R.S …etc. ) quer dizer, onde o relativismo da lei, a jurisdicção , a responsabilidade e zelo dos contrôles e…posteriormente das puniçoes às infraçoes são assuntos que haverão de se perderem em longos , cansativos e finalmente esquecîbeis processos sem qualquer ressultado exemplificador e preventivo para a sociedade. Continuamos ainda (ainda!!)com administraçoes e estruturas de “paises bananeiros”. Deixa sô ver em qué vai dar o apuramento das responsabilidades desse incrível sucesso do simulacro de emergéncia no barco onde morreran na Europa os inocentes passageiros que se prestaram ao excercicio e …a chalupa de salvatagem os matou !!. Tchau meu caro,meu rancho está pronto para te receber e aos teus. Forte abraço deste sulino amigo argentino.- (não achei o acento circunflexo nem o tiu para a “o” na minha máquina .. é assim de burra!)

  33. Jose Gonçalves Diz:

    Parabéns Gen Bonat, por tratar de um assunto tom delicado, porem com sabias palavras, que essas mortes não sejam em vão, que Deus e Maria Abençoe todas as familias. Gonçalves

  34. Brugalli Diz:

    Se ainda estiver em tempo, por favor, no meu comentário acima, “onde se lê Mateus, leia-se Tomé”, isto é aquele do “só acredito vendo”. Certamente Mateus, o Evangelista, percebeu minha imperdoável gafe e, como Santo que é, me perdoou. Afinal, ele levou a sério o ensinamento do Mestre: Perdoar sete vezes sete, se preciso for.
    Sorry. Brugalli.

Deixe um Comentário