Da trincheira.com.br

Há dias em que me sinto numa trincheira. Dou uma olhada pela janela e temo que, quando chegar, o inimigo, que pode ser um assaltante comum ou um agente da gestapo, não tenha muita dificuldade em transpor as grades do portão. Minha trincheira é confortável. As paredes estão cobertas por fotografias, medalhas e diplomas, tudo o que um cartunista gostaria para estereotipar um milico de pijama. Ele poderia incluir em sua charge, mas, claro, só se fosse meu amigo, as centenas de livros que atulham as prateleiras em desordem.

Tem, também, um aparelho de televisão e o micro em que escrevo. Graças a eles, mais ao segundo, mantenho-me conectado ao mundo. Pela internet, verdades e mentiras chegam sem controle ao meu monitor com velocidade tal que preciso de algum tempo – taí um produto que não falta nas trincheiras – para selecioná-las e processá-las.

Por vezes, transporto-me para a Linha Maginot, onde encontro soldados dispondo de imaginários palm e laptops. Vejo sua reação ao receber, em tempo real, imagens dos panzers, que angustiosamente esperavam, desfilando em Champs-Élysées, onde muitos parisienses brindam a chegada dos generais de Hitler. Sinto a decepção ao perceberem que a propaganda nazista havia conseguido dividir sua França. “Que Nação estamos defendendo?” O ambiente, que já era de “seja o que Deus quiser”, transforma-se num verdadeiro “salve-se quem puder”, e aquele labirinto subterrâneo vira uma lata de siris.

Se na década de 40 a internet já existisse, salvar a França se complicaria, como se já não fosse suficientemente complicado. De Gaulle teria muita dificuldade para aglutinar a Nação em torno da ideia de uma só França, livre para todos os franceses.

Ora, se a força da propaganda do totalitarismo nazista, baseada na mentira repetida a fim de exacerbar paixões até as tornarem patológicas, conseguiu dividir um povo culturalmente avançado como o francês, o que acontecerá com o Brasil, atualmente submetido à doutrinação semelhante?

O que percebo nos noticiários e nas manifestações de ódio que lotam meu endereço eletrônico é um acelerado aumento da violência no campo, na cidade e nas mentes. O mais grave é ver autoridades, que deveriam combatê-la, acobertando-a.

Como todos os povos, não gostamos de nos olhar no espelho. Mas, se o fizermos, veremos um rosto embrutecido, raivoso, com uma fisionomia importada não se sabe de onde. Rosto que é de outro povo qualquer, menos do nosso. É essa face que estão nos impondo para nos desunir e enfraquecer.

Da minha trincheira, noto que estão nos levando a uma perigosa dicotomia. Com franqueza, quando o ódio que estão plantando se transformar em violência generalizada, nossas mentes estarão de tal forma dominadas, que será tarde demais para quem quer que seja levantar a bandeira de um Brasil livre e soberano, para todos os brasileiros. E tudo faz crer que, tal qual a gestapo, uma polícia política já terá invadido a minha trincheira e apreendido o meu desktop.

27 Respostas para “Da trincheira.com.br”

  1. luiz gastao felizardo Diz:

    Paraabéns pelo artigo. Gostaria de receber os próximos.

    Atenciosamente.

    luiz gastão.

  2. Forrer Diz:

    Na minha “trincheira” acontece da mesma forma. Tem dias que não sei de que país estamos falando.

  3. Carlos Gama - Santos - SP Diz:

    Dia desses, Bonat, na praia aqui em Santos, enquanto armávamos nossa rede de tamboréu, um indivíduo surrupiou uma das cadeiras que trouxéramos. Quando percebemos, lá estava ele, a mais de cem metros de distância, junto com os da sua troupe, aboletado na nossa cadeira de praia, tomando a sua cerveja. Ficou indignado por ter de devolvê-la. Aí, eu disse ao meu filho: não foi este o país onde eu nasci.

  4. Gonzaga Diz:

    Muito bom BONAT !!
    Muita sensibilidade ao captar a intenção verdadeira dessa gente que quer o poder pelo poder…
    Saudações .
    LAG

  5. roselene ferreira Diz:

    MEU QUERIDO
    MAIS UMA VEZ MEUS PARABÉNS ” pela tua lucidez ” (parafraseando Raul Seixas ),AINDA Q ISTO ME DEIXE MUITO ENTRISTECIDA….
    BEIJOS
    ROSELENE

  6. Luiz Cláudio Diz:

    Caro Hamilton,
    Se a cada um cabe descobrir o caminho para abandonar a trincheira e partir para o contra-ataque, o teu está na linguagem, no exercício equilibrado das palavras, e nas idéias que se não são de todos, ajudam a quem não as tem.
    abraço
    LC

  7. Laura Vaz Diz:

    Seus textos, sempre muito bem escritos, às vezes me causam certo mal-estar pela visão desse futuro nebuloso para onde estamos sendo conduzidos. Queira Deus que uma reviravolta traga possibilidades de mudanças positivas para esse sofrido País.
    Um abraço
    Laura

  8. Nestor Jesus de Sant'Anna Diz:

    Perfeita a comparação,caro General.Sinto-me, também, a recuar naturalmente,antevendo e esperando o bote final dos aloprados,ávidos e ensandecidos pela “revanche” final. Encontra-se-os aos montes em quaisquer lugares.Parecem uma metástese de pardais alvoroçada e não admitem contraditório. Outro dia topei com um, num lançamento de um automóvel. Aparência insuspeita, pele alva,cabelos louros e olhos azuis(AQUELA MINORIA QUE O LULA MARTIRIZA),radialista e advogado, porém esquerdopata compulsivo. Êle, ao “identicar-me”como oposição, explodiu rompantemente que o lula é o maior depois de Getúlio,que pagou toda a dívida externa, que a(perdoai-me)dilma irá ganhar, que os militares espancaram e torturaram,etc.etc. Citei-lhe o episódio no Consulado Americano em que o santista Orlando Lovecchio(que passava ocasionalmente pelo local) perdeu a perna(e AINDA não foi indenizado por ninguém)num atentado a bomba orquestrado pelos terroristas dessa esquerda e aí ele perguntou-me: “Como é mesmo teu nome !!! Para saciar sua curiosidade rancorosa dei-lhe prontamente um cartão de visitas. Acho que entrei na lista negra deles, caro General… kkkkkk

  9. BPVMA Diz:

    Prezado General,
    Como sempre, parabéns !
    Nossas trincheiras estão nas ruas….
    Fte abraço,
    Os amigos da BPVMA.

  10. Marcio F Diz:

    Amigo Bonat,

    Falastes, como, se por todos os companheiros.
    Que bom ter amigos, na mesma trincheira!
    Forte abraço

    Marcio

  11. Hubert Jardim Diz:

    Caro Bonat,
    Em minha trincheira Mineira a tristeza é maior, pois nas suas paredes exalam os sentimentos da defesa da libertade por qual Tiradentes deu a vida. Porem é na trincheira que o soldado protegido, aguarda sereno a ordem de atacar.
    Libertas quae sera tamem!
    Parabens General pelo brilhante e real artigo.
    Jardim

  12. Godoy Diz:

    Amigo Bonat,
    Da trincheira.com.br: perfeito “NA”.
    Estava prestes a executar o comando de “atracar a palamenta”, quando ouço o bip de mais um e-mail adentrando avidamente meu monitor. Não resisto e por considerar oportuno, aproveito o espaço e retransmito: ” O IBAMA considera crime a confecção de bolsas com couro de jacaré, mas não há lei que proíba a confecção de bolsas-família com o couro da classe média”.
    Abçs
    Godoy

  13. Volmir Bertelli Diz:

    Outra vez, de uma lucidez magnífica, parabéns meu amigo! Abraço aqui da serra gaúcha Gen.

  14. Wenceslau Diz:

    Grande Bonat!
    Apesar de nunca ter comentado seus artigos, sou um assíduo leitor deles.
    Concordo plenamente com você. A doutrinação a que estamos sendo submetidos é muito mais inteligente do que a utilizado pelos nazistas. Inclui um amortecimento das paixões da sociedade e uma aceitação do escândalo como fato pitoresco apenas. Para onde isso vai nos levar, só Deus sabe!
    Forte abraço,
    Wenceslau

  15. Vera Lucia Machado Nunes Diz:

    Parabéns General!
    Senti hoje que o Brasil ainda tem salvação….
    são pessoas como você que nos dão esta esperança!
    Um abraço fraterno!

  16. Betty Diz:

    Olá, Hamilton!
    Como sempre, seus escritos são muito pertinentes; sobretudo fazem refletir. E penso que cada vez que há uma reflexão,algo deve e pode mudar.
    Abraços

  17. jack manel Diz:

    A mentira e falsidade têm pernas curtas.

  18. PAULO CHAGAS Diz:

    CARO HAMILTON
    VOU COMENTAR TEU OPORTUNO ARTIGO COM AS PALAVRAS DO VELHO E SÁBIO SUN TZU: “A ARTE DA GUERRA NOS ENSINA A CONFIAR NÃO NA PROBABILIDADE DE O INIMIGO NÃO VIR, MAS EM NOSSA PRONTIDÃO PARA ENFRENTÁ-LO; NÃO NA EVENTUALIDADE DE ELE NÃO ATACAR, MAS, ANTES, NO FATO DE QUE TORNAMOS NOSSA POSIÇÃO INEXPUGNÁVEL”.
    CARO AMIGO, ESTAMOS CONTIGO NA TRINCHEIRA, REFORÇANDO A DEFESA, TORNANDO-A INEXPUGNÁVEL! “E ELES QUE VENHAM”, POR NÓS NÃO PASSARÃO!
    CONFIANTE ABRAÇO
    PCHAGAS

  19. waldicir Diz:

    Meu Caro Gen Bonat, boa noite!

    Na sinonímia, a trincheira também pode ser a “vala onde se plantam cepas de videira.” Tenho certeza que os frutos serão colhidos ainda nessa geração.

    Um abraço,

    Waldicir

  20. DANIEL PEDRO Diz:

    Na minha trincheira, humildemente, não tenho um conhecimento abranzeador, mas tenho a minha trincheira!
    Os verdadeiros bandido estão em BRASÍLIA-DF, ESSES SIM SÃO OS VERDADEIRO BANDIDOS QUE QUANDO NÃO ESTÃO R… ESTÃO DANDO COBERTURA AOS GRANDES BANDIDOS. O JUDICIÁRIO brasileiro que é a instituição brasileira mais intransparente e funciona como uma verdadeira caixa preta, como pode? Além de dar apoio e garantias a todo tipo de La. e traficante ainda manipulam a informação para sociedade;….É são eles mesmo quem alimentam o crime organizado, o tráfico de drogas dando apoio e garantias de vida a ‘insetos’ como Fernadinho Beira-mar, Marcola, José Roberto Arruda, Paulo Maluf, José Sarney, Salvatory Cartiola e outros tantos. QUERIA QUE VOCÊS TIVESSEM CORAGEM E CRITICASSEM O GILMAR MENDES, é ….aquele mensmo que está acima de todas as verdades e todas as leis, que revoga decisões de juíses sem o prévio julgamento que manda soltar e prender quem ele quer, que emite dois ‘habeas corpus’ para um mesmo acusado em menos de 24 horas. Agora me digam se isso é ou não é conivência, conveniência, cumplicência e tudo que se possa imaginar de associação, participação ou com outro tipo de coisa que se possa caracterizar como crime organizado para enganar a sociedade. Será que os remédios da minha trincheira tem cura, eu acho que não.
    PARABÉNS GENERAL!

  21. Lúcia Tonon Diz:

    Seu Hamilton:
    Não preciso dizer que o senhor escreve muito bem, não? Bem, lendo este último artigo pensei em um filme alemão que acho que lhe interessaria muito chamado “A Onda”, disponível nas locadoras. Se houver oportunidade, assista-o.
    Um abraço, Lúcia.

  22. tania regina Diz:

    caro amigo: Como sempre muito lucido teu comentário.Parabéns e boa sorte p todos nós.

  23. Mario Gardano Diz:

    Caro General,li seu artigo ontem na Tribuna de Santos,apesar de morar em São Paulo compro-a todo domingo,o sr foi de uma felicidade extrema no seu artigo,acertou na mosca a lavagem cerebral feita por esse “pessoal” na população menos favorecida, e pior ainda a classe média esta entrando de cabeça na MPR (mentira programada repetida) ainda bem que temos pessoas lucidas como o sr que bradam aos quatro ventos e alertam sobre esse terrorismo verbal difundido pelo pais.Que Deus tenha piedade de nós, e nos livre desse “pessoal” o mais rápido possivel.
    abraços

  24. fire Diz:

    Amigo Gen Bonat; são em número de cinco, os sentidos do corpo humano; alguns dizem ter encontrado o sexto para os mais aperfeiçoados. No campo político, temos o quarto, que muda a história, elegem e tira do poder politicos “presidentes”; enfim prá todos os cargos eletivos. As vezes eu fico pensando, não está na hora que construir um quinto poder, para dar um basta nesses “brasileiros” que se dizem ser Brasileiros, mas não são; com essa democracia mascarada e mesquinha que objetiva tão somente quem está no poder, e, cada dia estamos trincheirados esperando o tempo passar. “BRASIL, UM PAIS DE TODOS”, políticos honestos, empreiteiros honestos, religiosos honestos, enfim oh! País sério.

  25. Dirso Diz:

    Boa noite, gen Bonat.
    Muito bom esse e também os demais atigos que o sr escreve .
    Tenho lido-os com certa regularidade.
    Olhando com nossos olhos saudosistas, realmente, esse nosso querido Brasil, às vezes nos sugere, que não é aquele Brasil onde nascemos ha pouco mais de cinco décadas.
    Grande abraço.
    Dirso

  26. Roberto Barbosa Diz:

    Amigo Bonat, muita lucidez!
    Enquanto não tivermos escolas para “educar” nosso povo, essa situação deverá persistir, ora com maior ou menor intensidade, conforme o governo de plantão… Enquanto isso, tome-lhe propaganda! Um grande abraço. Roberto.

  27. Osório Diz:

    Meu grande amigo Bonat

    Muitas vezes, em minha trincheira, sinto-me como o velho oficial Giovanni Drogo, com a vida presa ao Forte Bastiani, esperando o ataque dos inimigos tártaros, que um dia virá.
    Eles não têm pressa e esperam obter a vitória final apostando no nosso desânimo, em nossa descrença, em nossa omissão. Parece que o nosso povo está anestesiado e quando o inimigo der o golpe final, a Nação já estará em seu leito de morte, como o Major Drogo, do belo livro do italiano Dini Buzzati, “O Deserto dos Tártaros”.
    Mas, a força da sua trincheira renova o poder das nossas. E eles, novamente, serão implacavelmente derrotados.
    Fraterno Abraço. Osório.

Deixe um Comentário