Parece não haver humanos em Cuba

Que me perdoe a oposição, mas sou obrigado a concordar com o Presidente Lula. As Malvinas têm que pertencer à Argentina e não a um país do qual distam 14 mil quilômetros. Essa, aliás, tem sido de longa data a posição do Brasil, antes mesmo da aventura bélica do General Galtieri em sua tentativa desesperada de unir a nação afundada em problemas políticos e econômicos. Se Cristina Kirchner está retornando ao assunto, é válido imaginar que seus súditos não andam satisfeitos. Mas isso é problema dos hermanos.

Há outro problema que, aparentemente, também não é nosso. Mas, como estamos doando um dinheirão para o governo de certa ilha, podemos dar um pitaco. Meio século atrás, os revolucionários cubanos, cansados da ditadura do sargento Fulgêncio Batista e da influência norte-americana, decidiram trocar de patrão. Coincidentemente, idênticos 14 mil quilômetros separam o Kremlin de Havana. Cuba estabeleceu então acordos comerciais extremamente favoráveis com a URSS. Sem esse apoio, sua revolução e sua economia teriam colapsado. Em compensação, graças a essa dependência, o Kremlin tinha o regime de Castro na mão. Na prática, como “quem paga a banda escolhe a música”, Cuba tornou-se colônia da longínqua Moscou.

Rapidamente, os burocratas do Kremlin ensinaram aos seus homólogos cubanos como repartir o bolo, porém não como confeccioná-lo. Enquanto havia riqueza para dividir e antes de o comunismo fazer água na Rússia, a vida no país caribenho transformou-se para melhor. O analfabetismo despencou e a expectativa de vida aumentou. Porém, quando o muro de Berlim caiu, a fonte secou. Cuba virou uma sucata econômica e política. Neste segundo campo, o político, a herança foi tremendamente cruel. Tendo aprendido com os sucessores de Stalin a não admitir qualquer oposição, os irmãos Castro continuaram a sufocar ideias e ideais.

Humanos e animais precisam ter suas necessidades básicas atendidas. O que nos diferencia dos irracionais é o fato de possuirmos consciência. Mas, na ilha, parece não ser bem assim. Todos devem, como o cãozinho de Ivan Pavlov (russo, mas só por acaso), ser doutrinados. Quem não se submete, quem pensa diferente, é punido.

O sorridente encontro de Lula com os irmãos Castro, logo após a morte de Orlando Zapata, preso por ter consciência, foi constrangedor. A declaração de Raul Castro de que nunca houve tortura em Cuba, cínica. O silêncio do nosso mandatário, tristemente submisso.

Assessores diretos do nosso presidente, cujas palavras ele escuta com atenção e repete mundo afora com sua reconhecida eloquência, parecem desejar transformar o Brasil numa grande Cuba. Por que ele, o Homem do Ano do Le Monde, não aproveita sua fama para, ao contrário, tentar transformar Cuba num pequeno Brasil? Condicionar a doação de vultosos recursos, a fim de transformar o porto de Mariel no mais moderno do Caribe, à instalação de uma Comissão dos Direitos Humanos em Cuba seria um bom começo. Ou será que lá não resta nenhum humano?

13 Respostas para “Parece não haver humanos em Cuba”

  1. Hamilton OR Diz:

    Caro Bonat. Como por encanto, ou falta de espaço nas lentes, não percebi a figura de Dilma…esqueci que em Cuba não se vota…

    Hamilton Xará

  2. Roberto Barbosa Diz:

    Bonat, Cuba não tem mais solução! E nunca mais terá…
    Já pensou se um dia a situação se reverter e o País voltar a viver uma verdadeira democracia, onde irão arranjar dinheiro para pagar o “Bolsa Ditadura” aos perseguidos? Ou não é assim que funciona, segundo os brilhantes ideólogos do “filho do Brasil”? Ah! Bobagem o que escrevi… Para o “noço” guia não há humanos por lá… Um abraço. Gostei. Roberto.

  3. Carlos Gama - Santos - SP Diz:

    Excelente e crua análise da realidade.
    Uma realidade só nossa, onde há vários pesos e várias medidas, todos disponíveis, sempre adequados ao interesse e prontos para cada ocasião.

  4. Rui Diz:

    Meu caro Bonat, voce disse bem: Por que ele, o Homem do Ano do Le Monde, não aproveita sua fama para, ao contrário, tentar transformar Cuba num pequeno Brasil? Condicionar a doação de vultosos recursos, a fim de transformar o porto de Mariel no mais moderno do Caribe, à instalação de uma Comissão dos Direitos Humanos em Cuba seria um bom começo. Ou será que lá não resta nenhum humano? Voce só esqueceu que nosso “Stalin farofeiro” é uma fraude, sujeito limitado, um ingenuo e trouxa (se fosse esperto, nao teria visitado Cuba neste momento), o homem é fraco, nao se sustenta, é muita bravata e oba, oba (sempe foi assim). É a incoerencia em pessoa, disse que nao costuma dar palpite em assuntos internos, entao tá, nao dá palpite no Irã, Venezuela e Cuba (países governados por facinoras sanguinarios) e dá pitaco em Honduras que bem ou mal agiu democraticamente e pos pra correr o malandro Zelaya, é cinismo demais deste fantoche.

  5. Cida Fraga Diz:

    Concordo com quem diz que não tem mais solução. O povo está desesperançado e sem mais forças para lutar. E o duro é ver que muitos brasileiros flertam irresponáveis com este sistema. Sabia que até crianças de colo foram presas no dia do enterro do Zapata? Veja trechos e logo após o link:
    “…Con sólo 11 meses de vida, Yeikol Reyes ya conoce la brutalidad del régimen cubano…”
    Ou: Los niños fueron arrebatados a sus padres sin explicación alguna y encerrados en las dependencias de 7:30 de la mañana a 5 de la tarde.
    http://www.larazon.es/noticia/3568-zapata-recibe-sepultura-bajo-un-verdadero-estado-de-sitio

  6. José Figueiredo Diz:

    Excelente crônica. Muito boa comparação entre Cuba e Malvinas. Que abramos nossos olhos para a próxima eleição. Abraços!

  7. Mujahdin Cucaracha Diz:

    O atoleimado alçado ao posto de maior autoridade brasileira, no qual se mantém há quase oito anos, sequer tem capacidade para modificar a desculpa por sua incompetência. Apegou-se à uma desculpa que deu certo e a partir daí utiliza-se da mesma, com algumas variantes, para safar-se dos incômodos. O “eu não sabia” tornou-se uma coisa milagrosa. Assim foi no caso de Waldomiro Diniz, o corrupto dos Correios; igualmente no “mensalão” denunciado por Roberto Jefferson; que foi seguido pelo caso dos “aloprados” e sua mala de dinheiro – cuja origem até hoje não foi apurada pela PF -; ignorou, ainda, o “dossiê” sobre os gastos de Fernando Henrique, elaborado na Casa Civil, e como essa ignorância toda nunca é questionada, segue utilizando essa desculpa esfarrapada. Agora, o Apedeuta alega que “não recebeu” a carta dos dissidentes cubanos solicitando ajuda. Novamente “não sabia” de nada! Obviamente, de um Presidente da República que afirma não ler jornais por que lhe dão azia, e que assina decretos sem saber seu conteúdo, não se pode esperar muita coisa em termos de conhecimento. Mas há uma questão que me parece ter sempre passado ao largo dos críticos do Idiota do Planalto. E a quantia enorme de “açeççores” de que ele dispõe? Para que servem? Mesmo que se abstraia a “máquina de inteligência petista” montada há muitos anos por sindicalistas, jornalistas, bancários, professores e outros profissionais atuantes em diversos ramos de atividade, não podemos esquecer a existência de um Gabinete de Segurança Institucional, responsável não somente pela segurança física do ocupante dos Palácios da Alvorada e Planalto, mas também pela segurança da imagem do Presidente da República. Ora, no dia 21 passado, diversos jornais brasileiros noticiaram e até publicaram o texto da “carta dos dissidentes cubanos”. Tal texto também foi extensamente difundido pela rede mundial de computadores. Impossível acreditar que nenhum funcionário, dos que tem por missão antecipar “ameaças e oportunidades”, particularmente no campo diplomático, tenha se preocupado em alertar sua chefia sobre possíveis repercussões internacionais que poderiam advir da tal “carta”. Será que o Apedeuta queria um documento enviado pelos Correios Cubanos e “protocolado” em Brasília? Ou que tal documento lhe fosse entregue “em mãos” pelo Coma Andante? É muito cinismo e hipocrisia!! Com certeza, o Imbecil também não sabe nada sobre as diversas prisões que se seguiram à morte de Orlando Tamayo para evitar manifestações contra-revolucionárias durante seu velório.

  8. jack manel Diz:

    A “Pérola das Antilhas” que faiscava para o mundo com seu progresso, com investimentos na ilhota superiores ao do Brasil continental, hoteis maravilhosos, estrada de ferro de leste a oeste, magnífico Malecón, a rumba de Xavier Cugat e Perez Brado embalanado nossos rebolados, com sua liderança mundial na produção de açucar, foi transformada no “Cocô do Caribe”, um país miseravel, verdadeira lata de siris cozidos tentando fugir de qualquer maneira, vivendo de esmolas da Ruasia (antes dela ir à falência), da Venezuela, do Brasil e, principalmente, do governo americano que permite que os cubano-americanos enviem socorro a seus infelizes parentes que lá ficaram.
    Tudo de lindo e maravilhoso que existe na ilha foi construido antes de “la revolution”. Depois… só desgraça.

  9. PChagas Diz:

    Caro Hamilton, você, como sempre, foi brilhante no aproveitamento das oportunidades oferecidas pela descompostura do “noço guia”. A proposta de transformar Cuba em um pequeno Brasil foi ótima. Nos planos do Foro de São Paulo está clara a idéia de padronizar a ignorância, a “liberdade” e os “direitos humanos” neste nosso pobre e ignorante continente. O PNDH/3 é a primeira sondagem, o primeiro teste de medida das possibilidades e do preparo da nossa sociedade para experimentar a mudança.
    O preço da liberdade é a eterna vigilância! Ainda bem que não nos faltam os Hamiltons para denunciar as canalhices dos canalhas!
    Forte abraço
    PChagas

  10. Diva Diz:

    Hamilton…gostei muito. A visita do nosso mandatário, foi num momento infeliz. Abs.,Diva

  11. André Diz:

    Caríssimo amigo Bonat.
    É muito real e oportuna tua Crônica sobre Cuba, pois eu, cá na minha profunda ignorância, tenho ha tempos pensado> Que estão vendo certos políticos e seus algozes no regime de Cuba se na realidade ´so há por lá miséria e gente tentando fugir do pais em aventuras com uma minúscula chance de sobrevivência. Morrendo no mar numa pequena embarcação feitas de latas. Desertando de concetrações de competições esportiva. etc etc etc.Foi muito bem feita a colocação do leitor Jack, (Uma lata de siris sendo cozida e tentando desesperadamente fugir)
    Um forte abraço.
    André

  12. Betty Diz:

    Muito bem abordado o assunto,bem sério por sinal, para que o nosso presidente fique na posição que ficou!
    Abraços
    Betty

  13. Hubert Jardim Diz:

    Bonat,
    A sabedoria divina é vastamente superior. Uma prova é o fato de todos serem mortais. Portanto apesar de concordar com o leitor Roberto Barbosa, acredito que Cuba um dia mudará porque seus atuais mandatários um dia morrerão, e como em toda ditadura, o medo da tomada do poder propositalmente evita a dissiminação da inteligência, não haverá quem leve esta sina a frente e consequentemente a liberdade virá, tal com em Roma e vários outros imperios.
    Excelente artigo. Parabens. Abraço fraterno.
    Jardim

Deixe um Comentário