Papai Noel existe

Ao saber que Papai Noel não existia, Pedrinho ficou desapontado. Descobrira que seus pais o haviam enganado durante muito tempo. Como, além disso, obrigaram-no a mentir – ato que classificavam como pecado – para o irmão caçula, passou a desconfiar de todo mundo. Dizem estar aí o nosso pecado original. A partir dele, outros podem ser admitidos e, até, perdoados.

Os pais se justificam sob o argumento de que se trata de uma mentirinha inocente, com o intuito de ter as crianças comportadas na esperança de ganhar presentes do bom velhinho. A questão que se põe é como ficam os meninos pobres que, mesmo sendo comportados, nada recebem.

Em defesa dos pais, afirmo que Papai Noel existe. Para comprovar, relato um fato ocorrido em Guarujá.

Eu comandava a Brigada Antiaérea. Meu relações públicas – Tenente Pablo Moitinho – disse-me que uma pessoa estava solicitando seis soldados para escoltá-la numa favela. Minha resposta foi um seco não. Pablo insistiu que era por uma boa causa. Sugeriu-me que a escutasse. Concordei.

Vejam o que me contou a dita pessoa: “Passo o ano arrecadando brinquedos. Em dezembro, me visto de Papai Noel e os distribuo em bairros da periferia. No ano passado, quase houve uma tragédia. A criançada se atirava na frente do caminhão. Algumas quase foram atropeladas. Além do mais, foi difícil organizar a fila, pois todas temiam que os brinquedos terminassem antes de chegar a sua vez. Para evitar que isso se repita, resolvi pedir sua ajuda”.

Desconfiado, perguntei-lhe se não estaria preparando o seu ingresso na política.

“De jeito nenhum. Há dez anos faço isso e ninguém sabe, e nem vai saber, que sou eu o Papai Noel”.

Senti sinceridade naquele homem, a quem passarei a chamar pelo fictício nome de Natal. Acreditei e topei a parada. Cedi-lhe cinco soldados, sob o comando de um sargento. Este, após a “missão”, relatou-me da emoção que sentiu ao ver o brilho nos olhos da meninada.

Até hoje, no Guarujá, ninguém sabe quem é Natal, embora ele continue a levar alegria para muitas crianças. Além dele, deve haver milhares de “Natais” por aí. São os Papais Noéis de verdade. Ignorá-los seria o mesmo que duvidar da existência do Bem, ente que ninguém vê porque ele não é candidato a nada, mas está por todos os cantos e em todas as classes sociais.

Tomara que algum dos meus jovens soldados que escoltaram Natal tenha seguido o seu exemplo e se tornado, também, um Papai Noel de verdade. Seria outro ótimo presente de Natal.

19 Respostas para “Papai Noel existe”

  1. Carlos Gama - Santos - SP Diz:

    Esta, meu caro Bonat, é uma crônica de trazer lágrimas aos olhos.
    Nesses dias de desalento e de descrédito, as suas palavras nos convencem que o Bem ainda existe, embora caminhe no anonimato.
    Tomara mesmo, que algum daqueles seus soldados tenha se transformado num Papai Noel de verdade, a fazer o bem sem dizer a ninguém e que não seja este o seu úncio presente.

  2. joão carlos aranha Diz:

    Belo exemplo de solariedade:

    fazer o bem sem saber a quem e sem se promover… e tem mais, pelo visto ele levou carinho e amor à comunidade carente às suas próprias custas.
    Não praticou a caridade com dinheiro público.

  3. Betty Diz:

    MUITO BOA, COMO SEMPRE.
    TAMBÉM DESEJO, NESTA VÉSPERA DE NATAL EM QUE FICO EMOTIVA PELAS LEMBRANÇAS DOS MEUS SAUDOSOS PAIS E DE NATAIS FELIZES, QUE TODOS POSSAMOS SER UM POUCO “PAPAIS NOÉIS”.
    ABRAÇOS

    BETTY

  4. Pablo Moitinho Diz:

    É verdade General. Lembro bem do caso, inclusive, acredito que existam fotos na Brigada deste dia. Foi uma experiência incrível! Assim como o amigo, espero que aquela semente tenha prosperado no coração de cada um que ali esteve, na prática do bem e da caridade. No meu, asseguro que brotou! Fraterno abraço, Pablo

  5. Gustavo Rocha da Silva Diz:

    Comovente.

  6. Paulo Cesar Diz:

    Parabéns Bonat. Como sempre com sua inteligência privilegiada.
    Nosso abraço pelo Natal e um Feliz 2010.
    PCesar e Regina

  7. carlosmarques Diz:

    Recordar é viver!!! Feliz 2010

  8. Tercio Diz:

    Bonat,
    O Natal é uma comemoração que nos faz refletir e, principalmente, a cada ano, nos reencontrar com um fato histórico: o nascimento de Jesus – Mestre e Guia na jornada de todos nós pela vida (antes e depois de partirmos daqui).
    Por ser uma data tão especial, vivem todos um cenário de alegria, humildade e fraternidade, onde a bondade aflora e belas histórias nos são contadas, como a tua, fazendo renascer nossa fé no destino do homem.
    Feliz Natal e um venturoso ano para ti e a familia.
    Tercio

  9. Ênio José Toniolo Diz:

    Caro General,
    Acabo de conhecer seu site, e ler a crônica “Papai Noel existe”. Além de primorosamente bem escrita, encerra uma emocionante lição de fraternidade. Com meus parabéns, deixo os votos de um santo Natal, e que 2010 chegue carregado de
    novas esperanças.
    Ênio José Toniolo (UNESP)

  10. DANIEL PEDRO Diz:

    Parabéns General Bonat.
    Eu sempre acreditei em Papai Noel, mesmo quando vejo nas ruas um homem vestido de Papai Noel.A minha sensibilidade me faz me emocionar, ainda com fatos verdadeiros que acontecem e mencionados pelo senhor no texto acima. Mais uma pergunta senhor General, amigo Bonat, se posso chama-lo assim.
    E em épocas que não se comemora o Natal, temos nesse mundo a fora vários homens que ajudam, fazem trabalhos voluntários anônimalmentes , será que podemos chama-los de Papai Noel, ou são Papai Noel só em época de Natal?
    Abraços e um Feliz Natal e próspero ano novo repletos de muita saúde junto a sua família.

  11. Volmir Bertelli Diz:

    Nesta época do ano, todos nós ficamos mais emotivos, caridosos e envolvidos por um mágico magnetismo. Deveríamos ter talvez mais de um “natal” no ano para que a solidariedade que nos nostalgia se repetisse. Parabéns pela ótima crônica, apropriada não só a época, mas, ao ano todo. Votos de um Feliz Natal e Boas Festas ao amigo e seus familiares.
    Abraço!
    Bertelli e família

  12. jadir bernardo Diz:

    Tais fatos deveriam ser mais propalados. Eles acontecem aqui, ali e acolá. Seriam como rastilho de pólvora para explodir corações endurecidos desconhecedores do espírito natalino. Felizmente tenho visto e vivido muitos bons exemplos parecidos. Parabéns por trazer a lume mais este.

  13. ROSELENE Diz:

    HAMILTON ,QUERIDO
    EU SEMPRE AMEI PAPAI NOEL,TANTO QUE LEVEI O MAIS LONGE POSS,IVEL A FARSA C/ O RAMON; ASSIM AO PONTO DE QUANDO ELE JÁ NÀO PODIA ACREDITAR… EU FIZ O DANIEL CONSEGUIR QUE O PAPAI NOEL DO SHOPPING VIESSE AQUI EM CASA CUMPRIMENTASSE O RAMON,DESSE A MÃO ,DEIXASSE QUE LHE PUXASSE A LONGA BARBA …. E O RAMON ,POR MAIS UM TEMPO DUVIDOU !!!
    PORQUE É MUITO IMPORTANTE QUE AS CRIANÇAS LEVEM ESTE SONHO… FELIZ DO TEU AMIGO NATAL QUE PODE FAZER ISTO TODOS OS ANOS E QUE BOM TER UM ESCRITOR COMO TU P/ CONTAR-NOS ESTAS ESTÓRIAS GOSTOSAS.
    UM NATAL LINDO P/VCS.
    BJS DA
    ROSELENE

  14. luis lisanti Diz:

    Prezado Hamilton:

    SIM ! Papai Noel existe e seu significado é um só: ser criança e viver o maravilhoso em que o sonho descarta o real. Só o cinismo pode justificar a estupidez dos que pretendem o que de tempos a esta parte se ve: ‘hominhos’ e ‘beldades’ sem nenhum sentido. É entre o sonho e o real que em casa se incutem os 2 ‘Rs’: Respeito e Responsabilidade. Parabéns pelo belo testemunho e cumprimentos para o que diz Roselene. Boas Festas e Feliz Ano Novo. Aguarde Papai Noel pois ele entrará em si sem que Voce perceba. Um abraço, Luis.

  15. Paulo Martins Diz:

    Caro Hamilton, com a sua crônica ,aprendemos que tudo que é feito com honestidade, caridade e bondade,surte um efeito de respeito ao cidadão brasileiro,que é bom e alegre por natureza, apenas não encontramos ,ainda,um líder em quem podemos confiar. O Papai Noel é a fantasia deste lider em quem acreditamos que exista.

  16. Wilalba Diz:

    General Hamilton, boa tarde.

    Essa sua crônica é como aquela receita leve, profundamente saudável, que às vezes deixamos de aproveitar. Não foi o meu caso.
    Wilalba

  17. JOSELITO MARQUES Diz:

    Excelente a forma encontrada pelo NATAL para levar alegria às crianças daquela comunidade. Meus parabéns a ele que sempre, a cada ano,prioriza aquelas crianças.

  18. Salgueiro Diz:

    Prezado Bonat

    Emocionante o seu artigo.
    Valeu a pena correr o risco. A decisão tomada em apoiar Natal foi uma sábia decisão.
    Naturalmente eu devo admitir que pessoas como vc sabem diferenciar o joio do trigo.
    Lembrei-me do trabalho do Pe Lindemberg, aqui no Rio, quando na noite de Natal ele percorre o centro da cidade distribuindo lanches aos moradores de rua ??!!
    Pessoas especiais que fazem o bem vencer a luta contra o mal.
    Forte abraço meu amigo
    Feliz 2010
    Salgueiro

  19. Moura Diz:

    Muito bom seu artigo…melhor ainda a ideia de apoiar a iniciativa do Natal…gente como ele mantem viva a beleza desse momento de solidariedade humana, que devia prosperar em outros dias em todos os lugares sofridos desse nosso rincão.
    Feliz 2010!

Deixe um Comentário